Jundiaí

O recente aplicativo para iPhone vira tendência entre os usuários

A rede social ClubHouse, baseada em chats de voz e disponível somente para iPhone (IOS), ficou popular nas últimas semanas


DIVULGAÇÃO
O empresário Moisés Seba Neto começou a usar o ClubHouse
Crédito: DIVULGAÇÃO

A rede social ClubHouse, baseada em chats de voz e disponível somente para iPhone (IOS), ficou popular nas últimas semanas. O novo aplicativo chamou a atenção de personalidades famosas como Mark Zuckerberg, CEO do Facebook e do bilionário Elon Musk, que participaram de bate-papos na plataforma. Apesar de aparentemente novo, a rede social foi lançada em maio do ano passado.

Sem previsão de lançamento para Android, o ClubHouse só permite o cadastro de membros que receberam convites, tornando o aplicativo ainda mais exclusivo, que por enquanto está disponível apenas para usuários de iOS e iPadOS, porém já conta com mais de 600 mil usuários ativos pelo mundo.

Um destes usuários é o empresário Moisés Seba Neto, de 55 anos, que soube do aplicativo no início desta semana, ao receber o convite de um dos seus sócios. Ele explica que cada um dos membros irá aos poucos criar uma reputação sobre a qualidade das discussões em suas salas. Melhorando a qualificação e alcance de sua audiência. "É exatamente aí que acredito estar a grande oportunidade para empresas como a minha", afirma.

FUNCIONAMENTO

A plataforma funciona por meio de clubes e salas, em que os participantes só podem se comunicar por áudio. O aplicativo não permite o envio de fotos ou mensagens de texto nas conversas, além disso, os chats ocorrem sempre de maneira ao vivo. As salas possuem os 'speakers', usuários que podem falar durante a conferência e os 'listeners', ou seja, ouvintes das conversas.

De modo geral, o aplicativo é uma mistura de conferências de áudio, podcasts e chamadas ao vivo. Ele permite criar grupos ou eventos para discutir um tema específico, que é sugerido ao usuário baseado nos tópicos de interesse selecionados ao criar um perfil.

O ClubHouse alcançou grande popularidade nas últimas semanas por conta do número de usuários da China que aderiram à rede. No Brasil, influenciadores digitais e youtubers, como Pyong Lee, além de apresentadores como Celso Portioli e Luciano Huck já apareceram na rede social.

Devido ao número limitado, os convites para o ClubHouse já estão sendo vendidos na internet, sendo oferecidos em marketplaces do exterior e também do Brasil. No Ebay, o valor cobrado chega até U$ 125, equivalente a R$ 670. Na China, entradas para o aplicativo foram anunciadas no Alibaba.

O empresário acredita que o clubhouse se tornou a febre do momento e os desdobramentos de seu uso vão poder ser vistos em alguns meses. "Uma rede social é um organismo vivo e é resultado de todos os que fazem parte dela, agora é esperar para ver", comenta.

(Lucas Hideo)

 


Notícias relevantes: