Jundiaí

Arboviroses: Técnicos realizam levantamento para identificar criadouros de mosquitos


DIVULGAÇÃO
Até a primeira semana de março, 4,8 mil residências serão avaliadas
Crédito: DIVULGAÇÃO

A partir de hoje, técnicos da Vigilância em Saúde Ambiental (VISAM) e agentes comunitários de Saúde, da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), da Prefeitura de Jundiaí, iniciam o levantamento do Índice de Breteau (IB) para a identificação de locais com maior infestação dos mosquitos Aedes aegypti, transmissor das arboviroses (dengue, zika, chikungunya ou febre amarela). Com a avaliação das espaços externos às residências, os agentes buscam por objetos ou inservíveis que possam acumular água e servir de criadouros, além de orientar a população sobre a necessidade do cuidado com os quintais. Até a primeira semana de março, 4,8 mil residências serão avaliadas, como amostragem da cidade, para a avaliação da densidade larvária.

A casa de dona Miriam Aparecida Zampa, moradora no bairro Agapeama, recebeu a equipe da VISAM na manhã desta quarta-feira (17). “É muito importante este trabalho. Assim as pessoas já identificam se alguma coisa na casa pode virar um criadouro de mosquito. É um belo trabalho feito pelos técnicos”, comenta a moradora.

De acordo com a biomédica da VISAM, Ana Lúcia de Castro Silva, o levantamento IB indicará locais com maior risco da ocorrência de casos de arboviroses. “Por enquanto, Jundiaí está em uma situação satisfatória em relação à dengue, à zika e à chicungunya. No entanto, a circulação de pessoas por locais onde a ocorrência das doenças é grande, existe o risco de o caso importado contaminar a população de mosquitos local e o cenário passar a ser de transmissão autóctone, ou seja, quando a contaminação acontece na cidade. Por isso é fundamental eliminar os criadouros”, explica.

O levantamento será realizado por duas semanas, com a circulação das equipes por todos os setores de Jundiaí. A avaliação completa deve ser apresentada na primeira quinzena do mês de março. “A identificação dos locais com maior existência do mosquito transmissor é um norteador de ações. Apesar de o tema ser trabalhado em toda a cidade, os locais com maior densidade larvária apresentam maior risco para o surgimento de mais casos das doenças”, orienta.

Os agentes estarão com crachá, uniforme e carro da Prefeitura. A VISAM coloca o telefone 4521-0660 à disposição para o esclarecimento de dúvidas e ou confirmação sobre o trabalho a ser realizado. Todas as medidas sanitárias de prevenção à COVID-19 são adotadas pelos agentes durante a vistoria às residências.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: