Jundiaí

Jundiaí ainda tem 2,1 mil doses


ALEXANDRE MARTINS
João Oliveira está ansioso para receber a vacina, quando chegar sua vez
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Diante da preocupação com a quantidade de doses da vacina para os idosos, pois em algumas cidades já estão em falta, Jundiaí ainda possui 2,1 mil doses para serem aplicadas conforme a programação já estabelecida para esta semana, que consiste em idosos maiores de 85 anos já agendados pelo drive-thru, ou acamados e impossibilitados de locomoção em suas residências.

A Unidade de Promoção da Saúde (UGPS) esclarece que até o dia 16 de fevereiro foram vacinadas 13.351 pessoas entre profissionais de saúde, idosos em Instituições de Longa Permanência e idosos com 85 anos ou mais, seguindo o Plano Nacional de Imunização.

A vacinação de idosos acima de 85 anos teve início na segunda-feira (15) com o agendamento e sistema drive-thru. No primeiro dia foram vacinados 500 idosos, na terça-feira (16), mais 485 idosos. A imunização prosseguiu nesta quarta (17), com mais 500 pessoas vacinadas e quinta-feira (18), há expectativa de serem imunizadas mais 440, também para quem já fez o agendamento.

A UGPS também está vacinando pacientes acamados, com mobilidade reduzida e que não conseguem se deslocar até o Parque da Uva. Ao todo, para a faixa etária de 85 a 89 anos, a cidade recebeu 3.040 doses - suficientes para vacinar 88% desse grupo.

Com relação à vacinação para idosos acima de 80 anos, a UPGS aguarda a nova grade de vacinação do Plano Nacional de Imunização (PNI).

ANSIEDADE

Os idosos que ainda não tem idade suficiente para serem vacinados estão ansiosos para receber as doses. Aos 66 anos, João Batista Oliveira espera que a vacina chegue logo.

"Assim que eu puder, vou tomar. O problema é esperar ela chegar. Ficam fazendo mil campanhas, mas não temos doses suficientes ainda. Enquanto isso, resta esperar", afirma

Jair da Silva, 67 anos, não entende as pessoas que se recusam a receber as doses. "A expectativa é alta. Eu não vejo a hora de estar vacinado. O problema é que talvez demore um pouco para que pessoas da minha idade sejam vacinadas. Estou me cuidando para não pegar covid até lá", conta.

A expectativa é grande também para quem, além de estar perto de tomar a vacina, tem familiares em casa que também vão se vacinar. Mercedes Rodrigues, de 78 anos, conta que a ansiedade é cada vez maior. "Agora que a vacina está tão perto, estou muito ansiosa para receber quando puder. Tenho uma irmã de 80 anos que mora comigo e vai ser muito importante a imunização. Todos em casa nos cuidamos durante a pandemia. Eu só saio quando é necessário. Agora que a oportunidade está próxima, estou com altas expectativas", conta.

(Mariana Checoni)


Notícias relevantes: