Jundiaí

Reformas ajudam a passar o tempo e salvar o comércio

QUARENTENA Com a quarentena, cidadãos aproveitam o tempo em casa para realizar pequenas reformas e ajudam a alavancar a economia


JORNAL DE JUNDIAÍ
Flávio Roveri realiza pequenas manutenções em sua chácara
Crédito: JORNAL DE JUNDIAÍ

Com a chegada da pandemia, as pessoas que precisaram ficar em casa tanto para trabalhar como para se proteger buscaram formas de passar o tempo e as reformas caseiras se tornaram um exemplo disso.

A busca por materiais de reparos ocorreu alguns meses após o início da quarentena devido ao fechamento do comércio, mas logo após a reabertura e a consideração de tornar o setor de materiais de construção como atividade essencial, o volume de compras e clientes nesse setor alavancou.

Segundo o presidente da Associação de Comerciantes de Materiais de Construção (Acomac), Carlos Eduardo Favaro, no começo da pandemia houve uma redução e o setor ficou mais ou menos 15 dias fechado. "Em abril, com a reabertura, houve uma elevação nas rendas e em julho houve uma estabilização".

Para Carlos Eduardo, a elevação se deu pelo fato das pessoas passarem muito tempo em suas casas. "Por conta do home office, muitas pessoas precisaram pintar o ambiente, e assim acabaram comprando muitos materiais em geral das lojas de construção. Essa relação entre as pessoas de quarentena e o setor comercial acabou sendo bom para todos", conta.

AUMENTO

Quem precisou fazer as reformas ou algum tipo de manutenção em casa, fala das compras de novos materiais. Foi o caso do aposentado Flávio Roveri que realizou manutenções em sua chácara e, consequentemente, está comprando os materiais sempre que precisa.

"Eu fico mais tempo retirado na chácara, então aproveito para fazer pequenas reformas para não ficar parado. É bom ocupar a cabeça", diz.

Após o início da quarentena, Sueli Seixas começou a ficar mais tempo em sua casa e por isso utilizou muito mais os equipamentos e materiais domésticos. "Vou desgastando mais rápido e sempre quero deixar os materiais em ordem para continuar o serviço direito e continuamos comprando das lojas", comenta.

Para Marcelo Facciolo, gerente de uma loja de materiais elétricos e manuais, houve um aumento considerável no volume de vendas e de clientes após a reabertura do comércio. "Apesar do início que ficamos de porta fechada, houve um aumento muito grande de clientes. Tem dia que a gente nem dá conta. Antigamente já atendíamos bastante, mas hoje parece que o volume está maior ainda", conta.

O gerente conta que os produtos mais procurados são os materiais de iluminação, materiais de acabamento e os aqueles para pequenas reformas e obras em geral. "Antes da pandemia, a pessoa que trabalha até tarde, ao chegar em casa vê o problema, mas acaba deixando para consertar depois e vai deixando. Agora, por estar em casa, mesmo fazendo home office, sobra mais tempo para realizar os reparos. Até as pessoas que não estão trabalhando, começaram a fazer reformas para passar o tempo", afirma.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: