Jundiaí

A alegria de poder 'impulsionar' a comunidade jundiaiense

Jornal de Jundiaí produziu notícias e promoveu trabalho de entidades civis e filantrópicas


ALEXANDRE MARTINS
Diana da Silva conseguiu comprar cadeira para a filha Milena
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

No dia 21 de fevereiro de 1965, nascia o Jornal de Jundiaí. Nesses 56 anos de história, através da informação e credibilidade, o jornal não se limitou a produzir notícias em tempo real. O Grupo JJ também promoveu o trabalho de entidades civis e filantrópicas, que dão suporte à cidadania. Durante a pandemia, apoiou diversas pessoas, alavancando pequenos negócios, na divulgação gratuita de vaquinhas on-line, pedidos de doação e atendeu a população quando esta exigia sua presença.

Ao longo desses 56 anos, a preocupação com a sustentabilidade garantiu divulgação de causas importantíssimas para a sociedade, no apoio da ciência, na saúde e na educação. Exemplo disso é a parceira com o Grendacc (Grupo em Defesa da Criança com Câncer), que, em 2018, passou por uma crise e quase fechou as portas. A ex-presidente Verci Bútalo recorda como o jornal sempre esteve presente. "É muito bom poder comemorar com o Jornal de Jundiaí seus 56 anos de vida. Afinal, uma parceria que vem desde os tempos do Dr. Tobias Muzaiel tem mais é que ser cultivada com carinho. Isso sem contar que o apoio oferecido pelo JJ nesses 25 anos do Grendacc nos enche de alegria, justamente por nunca nos ter faltado, tanto nos momentos de alegria quanto nos de tristeza", afirma.

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) sempre pôde contar com a colaboração do Jornal de Jundiaí em seus projetos. A diretora executiva da instituição, Suely Angelotti, afirma que o JJ sempre esteve à disposição da Apae, colaborando com as campanhas e divulgação. "O Jornal de Jundiaí é um ótimo parceiro. Agradecemos a possibilidade que vocês nos dão e o espaço que disponibilizam para a Apae, o que sempre nos garante mais doações e reforçam nossa imagem", relata.

Em sua mais recente campanha "Volta às aulas com solidariedade", finalizada na última sexta-feira (18), o Portal JJ e a Rádio Difusora arrecadaram material escolar novos e usados para cinco entidades sociais de Jundiaí, Apae, Casa Transitória, Casa de Nazaré, Casa da Fonte e Centro de Atendimento à Síndrome de Down Bem-Te-Vi.

Empreender

Além de divulgar campanhas sociais, pequenos negócios foram impulsionados gratuitamente durante a pandemia por reportagens produzidas pela nossa equipe.

Para a autônoma Juliana Tresmondi, que trabalha como confeiteira e tem como carro-chefe bolos customizados e doces para festas, a divulgação do trabalho fez com que as vendas aumentassem. "As reportagens sempre ajudam. Muitas pessoas falaram do jornal quando vieram encomendar doces. Isso é muito legal. Além disso, ganhei alguns seguidores quando a matéria foi ao ar. Fiquei muito feliz", relata.

Por conta da volta às aulas, as artesãs Maria de Fátima Gonçalves de Oliveira e Almerinda Cristina Reis começaram a confeccionar máscaras e kits escolares. Contam que as vendas bombaram após a oportunidade da divulgação no jornal. "Muitas pessoas vieram nos procurar falando que viram a matéria do JJ. Já temos muitos pedidos de orçamentos e estamos muito alegres com isso, já que as aulas acabaram de voltar", relatam.

A criação e venda de galinhas ornamentais de Alan Bueno gerou curiosidade e negócios em muitos moradores da cidade e região. Bueno conta que, após a reportagem, muitas pessoas entraram em contato para conhecer mais sobre as espécies raras. "Muitas pessoas entraram em contato por curiosidade, depois que aparecemos no jornal. Com mais interesse, mais vendas."

Outra pessoa que foi beneficiada, após aparecer nas páginas do jornal, foi Diego Pinheiro, 33 anos, o Homem Aranha de Jundiaí. Além de participar de festas e eventos para levar alegria as crianças, ainda faz ações sociais no Grendacc, com visitas voluntárias. "O Jornal de Jundiaí abriu novos espaços de ações e trabalhos, pois mais pessoas puderam me encontrar e conhecer o que faço pela cidade. Muita gente às vezes queria um "super-herói", mas não sabia como", afirma Diego.

Apoio nas redes

Individualmente, a dona de casa Diana Evangelista da Silva, de 32 anos, recebeu a divulgação gratuita de seu pedido, uma vaquinha on-line para comprar um carrinho postural para sua filha Milena, de três anos, com paralisia cerebral. O valor que a mãe precisava arrecadar era R$ 23 mil. Com a ajuda da divulgação feita pelo JJ, Diana conta que conseguiu arrecadar o dinheiro necessário. " Agradeço muito o Jornal de Jundiaí por ter abraçado a nossa campanha, pois conseguimos o valor total com a ajuda de vocês", conta. Diana já comprou a cadeira e está aguardando a entrega, que será no fim do mês.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: