Jundiaí

Jundiaí manifesta interesse na compra direta das vacinas contra a covid-19

A compra direta foi autorizada ontem (23) pelo STF


DIVULGAÇÃO
A vacina russa Sputnik ainda não tem liberação da Anvisa no Brasil
Crédito: DIVULGAÇÃO

Um dia após a autorização do Supremo Tribunal Federal para que Estados e Municípios possam adquirir vacinas contra a covid-19, a Prefeitura de Jundiaí providenciou o envio de ofícios para os institutos Butantan e Fiocruz, além do laboratório Pfizer, com manifestação de interesse na compra de 50 mil doses de vacinas para atender a grupos prioritários da cidade. Todas as vacinas de interesse do município estão aprovadas pela Anvisa.

Nos documentos, o governo municipal apura junto às instituições os precedentes relativos à compra dos imunizantes, como prazos para entregas, quantidades e valores de cada dose. “Estamos em busca de todas as frentes possíveis para acelerar o processo de vacinação em Jundiaí. Sabemos que não é uma tarefa simples porque exige critérios e condições impostas pelos fornecedores, mas não podemos ficar inertes diante da situação de urgência”, explica o prefeito Luiz Fernando Machado.

O público prioritário em Jundiaí, com profissionais da Saúde e pessoas com 60 anos ou mais, somaria cerca de 92 mil pessoas. De acordo com o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) Tiago Texera, a cidade estima a necessidade de 50 mil doses de vacinas, considerando que a cidade já vem recebendo entregas pelo Governo do Estado, e a aquisição proporcionaria mais celeridade à vacinação. “Assim que as respostas aos nossos questionamentos forem recebidas, será avaliada a condição em relação ao tempo para a entrega, já que a vacinação é o principal caminho para conter a circulação do vírus Sars-CoV-2, causador da covid-19. ” explica. A aquisição será realizada no caso da não entrega pelo Ministério da Saúde no comprometimento estabelecido com o país.

De acordo com os dados atualizados nesta quarta-feira (24), a cidade já aplicou 19.069 doses, sendo 6.545 em primeira dose para profissionais da saúde, 3.636 em segunda dose, 1.006 para idosos em instituições de longa permanência e pessoas com deficiências institucionalizadas, além de 4.458 para idosos com 85 anos ou mais e 1.613 para profissionais de Pronto Socorro, Atendimentos.


Notícias relevantes: