Jundiaí

Venda de ovos de chocolate começa a crescer e anima setor

PÁSCOA Apesar de faltar pouco mais de um mês para o feriado, as pessoas já estão à procura dos ovos e lojistas comemoram


               ALEXANDRE MARTINS
Giovana Molineiro Sturaro está confiante para as vendas deste ano
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Faltando pouco mais de um mês para a Páscoa, a procura por ovos e itens de chocolate já começaram. Vendedores e comerciantes preparam seus estoques para atrair ainda mais a atenção dos amantes do chocolate. Apesar de não haver números sobre as vendas deste ano, o termômetro está nas contratações.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (ABICAB), para atender à demanda do período da Páscoa desse ano, a indústria de chocolates prevê 11.665 contratações temporárias diretas e indiretas de profissionais que atuarão nas linhas de produção ou nos pontos de venda.

A dona de uma loja especializada em chocolates, Giovana Molineiro Sturaro, está animada com as vendas deste ano. Mesmo faltando um tempo para a Páscoa, os clientes já estão procurando as novidades nas lojas, mas ela se diz cautelosa. "O pessoal costuma deixar para a última hora, com uma ou duas semanas antes do feriado, diferentemente do Natal que é o mês inteiro de compras", diz.

Segundo ela, no ano passado a pandemia afetou as negociações do período. "Durante a pandemia fechamos por uma semana e depois abrimos novamente, mas isto trouxe muitas incertezas, justamente por ser um produto alimentício e perecível", lamenta.

Apesar das incertezas deste ano, a proprietária está confiante e com uma especulação alta, devido aos novos produtos que oferece. "As novidades para esta Páscoa são os ovos recheados, como o de doce de leite. Também temos os ovos de chocolate com paçoquinha, além dos ovos infantis que vêm com brindes de personagens do Looney Tunes e de esportes, com bolas de basquete personalizados com times da NBA", comenta ao lembrar que os preços dos ovos variam de R$ 9,90 (de 40g) à R$ 289 (de 2kg).

Animada, a proprietária de outra loja de chocolates, Rosane de Souza Paes Cereser, está com boas expectativas para a Páscoa deste ano. "Embora estejamos em pandemia, o consumo de chocolates aumenta muito nesta época e as pessoas também trocam presentes, sendo propício e tradicional para os chocolates", comenta.

Segundo Rosane, os produtos mais pedidos em sua loja são os chocolates ao leite. "Nosso diferencial é a qualidade. Trabalhamos com matéria prima de altíssima qualidade e o nosso chocolate é produzido por uma empresa belga e o processo começa com o derretimento, depois damos o choque térmico no chocolate. Ele é moldado, selecionado, embalado e segue para a venda", conta.

As novidades para esta páscoa são os ovos "total zero" (sem lactose, sem glúten e sem açúcar) e o coelho trufado (recheado com creme de avelã). Os ovos variam de R$ 10,40 (de 60g) à R$ 395 (de 5kg). "Há 35 anos fabricamos chocolates, colocando muito amor e carinho em todos processos", afirma Rosane.

CONTRATAÇÕES

Ainda de acordo com a Abicab, o número de contratações para este ano representa um crescimento de 4,8% em relação às contratações do ano passado.

"Em 2020, o e-commerce e o varejo foram grandes aliados das indústrias. Com isso, acreditamos que as vendas online e parceria com os varejistas se manterão fortes neste e nos próximos anos", afirma Ubiracy Fonsêca, presidente da Abicad.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: