Jundiaí

Moradores de Jundiaí realizam melhorias em seus bairros

Pessoas demonstram entusiasmo e força de vontade para ajudar a melhorar a qualidade de vida de seus bairros


ALEXANDRE MARTINS
Aurineide Alves e Maria Conceição construíram a Praça do Sossego
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Moradores de Jundiaí demonstram entusiasmo e força de vontade para ajudar a melhorar a qualidade de vida de seus bairros e unir cidadãos locais, beneficiando ecossistemas de convívio entre pessoas e o meio ambiente.

As donas de casa, Maria Conceição da Silva Salu e Aurineide Alves Freire, começaram em dezembro de 2020 a construir a "Praça Bom Sossego" na rua em que moram no Almerinda Chaves.

Anteriormente, o terreno estava abandonado e cheio de problemas. "A ideia surgiu para termos uma opção de lazer com nossas crianças, além de manter o local limpo, pois muitas pessoas jogavam entulho e juntava animais peçonhentos. Era uma preocupação que tínhamos com a nossa rua e com as crianças que por aqui brincam", conta Aurineide.

Ao todo, cinco moradores ajudaram na construção da praça e a decoração se deu pelo trabalho de busca e coleta de materiais. O filho de Maria Conceição conseguiu madeiras para montar um banco e cercar o espaço. Já Maria conseguiu mudas para serem plantadas em vasos e garrafas pets.

A Praça Bom Sossego recebeu este nome graças a um vendedor de panos de prato que, ao passar pelo local já construído, vislumbrou a praça, dizendo ser um lugar bem sossegado. As donas de casa gostaram da ideia e aderiram ao nome.

"Hoje nossas crianças brincam sem medo e nós nos divertimos nos finais de semana. Quem passa pela praça, como os trabalhadores que fazem entregas e os que trabalham com limpeza urbana, podem descansar e fazer seus horários de almoço no local. E isso é muito gratificante para nós", afirma Aurineide.

Joaquim Paula Morais, de 81 anos, mora no Jardim Ermida há dois anos e a partir de outubro de 2020 deu início a um grande projeto em sua rua, plantando mudas e resgatando árvores doentes. Hoje em dia, pessoas, animais e plantas colhem os frutos dessa iniciação.

"Comecei quando reparei em umas primaveras que estavam morrendo, secas e cheias de formigas. Então, comecei a cuidar delas, podar, adubar e regar. E depois fui pegando outras plantas para cuidar também e isso começou a me dar prazer, principalmente ao ver os resultados. Com isso, as pessoas do bairro começaram a se aproximar de mim e se interessaram pelo trabalho que estava sendo feito", conta Joaquim.

Aos poucos, ele foi ficando cada vez mais conhecido no bairro e na região, moradores postaram suas ações nas redes sociais, alavancando ainda mais seu projeto de restauração ambiental. "Um dia, conheci um casal e sua filha, que também mexiam com plantios e começamos a trabalhar juntos. A partir disso, outros moradores foram se aproximando e nossa organização começou a ganhar corpo. Criamos um Instagram para divulgação e isso fez com que mais pessoas vissem o que estava acontecendo e começaram a nos apoiar de inúmeras maneiras. Nunca imaginei que chegaria a esse ponto, de sensibilizar tantas pessoas", comenta Joaquim.

Atualmente, são 15 pessoas voluntárias para o plantio, além dos doadores de mudas, de adubo, de estacas e outros tipos de materiais. "Foram plantadas algo em torno de 184 mudas, além das árvores em recuperação e reparação, totalizando cerca de 250 árvores sobre nossos cuidados", afirma Joaquim.

O plantio começou na altura do nº 4250 da avenida Antônio Pincinato, próximo ao portal da estrada e vai até a sede da Guarda Florestal, ocorrendo nos dois lados da pista e totalizando 4km de plantio até o momento.

(Lucas Hideo)

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: