Jundiaí

No verão, sintomas podem confundir dengue e covid-19

Nos primeiros dias das doenças, febre e dor no corpo são sintomas que podem surgir


ARQUIVO JJ
Em Jundiaí foi registrado apenas um caso de dengue no município neste ano
Crédito: ARQUIVO JJ

Apesar do número alarmante de casos de covid no estado, outra doença que tem preocupado as autoridades sanitárias é a dengue. Nos primeiros dias das doenças, febre e dor no corpo são sintomas que podem causar certa confusão.

O pediatra e pós-doutor em virologia e professor da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ), Saulo Duarte Passos, diz que a dengue e outras arboviroses, como a chikungunya e o zika vírus, se diferem da covid porque costumam causar febre mais alta, a febre causada pela covid é mais baixa. "A dengue não costuma ter sintoma respiratório, dor de garganta, a covid sim. A dor no corpo também é mais intensa na dengue", explica.

Segundo o especialista, a dengue começa a apresentar complicações por volta do quinto dia de infecção, antes disso, é a fase chamada de efervescência do vírus. "Depois a febre cai e a pessoa pode ter sintomas como pintinhas e sangramento. A covid é transmitida pessoa a pessoa, então é mais transmissível, a dengue depende do Aedes aegypti fêmea", define o médico.

Saulo alerta, no entanto, para casos assintomáticas. "80% das pessoas são assintomáticas para covid e também podem ser para dengue. Esses vírus causam bastante transtorno. Temos muito para aprender sobre a covid ainda. Tem bebê que teve a doença com dois dias de vida e não teve nada, mas tem criança tem e pode evoluir para um quadro mais grave."

Por isso, o pediatra fala que exames podem ajudar na detecção no tratamento em cada caso. "Se a pessoa tem um sintoma, acho que tem que esperar 48h para procurar ajuda, a menos que tenha alguma comorbidade, aí precisa ir logo para o hospital, mas é diferente. Na dúvida, tem que procurar o médico, pedir um hemograma que mostra características da dengue. A dengue também tem teste rápido de 15 minutos em pronto socorro. É mais fácil o diagnóstico da dengue do que da covid, até porque ela já está com a gente há muito tempo."

DADOS

Só na Capital 194 casos de dengue foram registrados. Em Jundiaí, segundo a Vigilância Sanitária e Ambiental (Visam), foi registrado apenas um caso de dengue no município neste ano, na Vila Aparecida.

Vistorias que devem continuar por mais tempo para que não haja confusão nos sintomas, principalmente nos primeiros dias de infeção.

Segundo a Prefeitura de Jundiaí, foram registrados casos suspeitos de dengue e covid, porém o diferencial para o diagnóstico são os exames específicos e sintomas apresentados. Somente no caso de arboviroses, a Visam realiza a investigação epidemiológica com levantamento de todos os dados, entre eles, clínico, epidemiológico e entomológico, concluindo o local provável de infecção e providenciando as medidas cabíveis.

Até o momento, o número de solicitações de vistoria de possíveis focos estão em torno de 10 por semana.

(Nathália Sousa)

 


Notícias relevantes: