Jundiaí

Novo Horizonte sofre com covid, dengue e enchentes

MEDIDAS De acordo com moradores, bairro precisa de melhorias e prevenção para amenizar problemas


               ALEXANDRE MARTINS
Bairro registra 2.200 casos confirmados de covid-19
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Crianças brincando na rua, idosos sentados na calçada e muitos comércios abertos. Esta cena não combina com os 2.200 casos confirmados de covid-19, algumas suspeitas de dengue e diversos alagamentos que acontecem no Jardim Novo Horizonte.

A região, com uma população estimada de 42 mil pessoas, tem sido destaque pelos números de casos do covid, mas na última semana o que chamou a atenção foi os registros de alagamentos por conta da intensidade das chuvas.

O vendedor Vitor Medeiros, de 17 anos, conta que o bairro é bom para morar, mas ultimamente vem sofrendo com os alagamentos. "A chuva não afetou a loja, mas as ruas aqui perto sempre alagam. É ruim porque os moradores perdem os pertences e passam por dificuldades quando a água invade as casas", afirma.

Para o jovem, os moradores costumam tomar os devidos cuidados contra a covid. "Todo mundo sempre entra na loja de máscara e parece estar bem preocupado com os casos", relata.

Moradora do bairro há 38 anos, a auxiliar de limpeza Mirian Ferreira Pimenta Lopes, 56 anos, tem uma percepção diferente dos fatos. Acredita que as pessoas não respeitam as normas. "É só andar pela rua e perceber que ninguém usa máscara. As pessoas não respeitam. Além disso, tem festa e aglomeração todo fim de semana nos bares e até mesmo no meio da rua e claro, ninguém usa máscara ou pratica o distanciamento", revela.

Além disso, nesta época do ano, os moradores precisam se preocupar com outra doença: a dengue. "As pessoas precisam cuidar de seus quintais. Vemos muitos pernilongos por aqui. Nesta época de chuva aumentam, por causa da água parada que fica acumulada. Se cada um fizesse sua parte tanto contra a covid, quanto contra a dengue, tenho certeza que o bairro seria mais seguro", conta Mirian

Os alagamentos são recorrentes no bairro. "Em uma ocasião o esgoto começou a voltar dos boeiros e entrou na minha casa. Muitas pessoas perderam itens que demoraram anos para conquistar. A prefeitura começou a fazer obras para melhorar a situação e hoje (ontem) mesmo eles estão instalando uma tubulação para ajudar a escoar a água da chuva", afirma.

MELHORIAS

Morador do bairro há 30 anos, o barbeiro Tiago Barci, de 39 anos, conhece bem a realidade do local e diz que o mais importante agora é finalizar as obras. "Recentemente asfaltaram a rua 8, que era de terra. A obra ficou muito boa, porém eles fecharam diversas bocas de lobo pela extensão da rua. Isso faz com que a água tenha menos locais para escoar e enche mesmo", afirma.

Além disso, Barci relata que o terreno não construído na rua faz com que a terra deslize quando há muita chuva. "Não há escoamento de água. O pouco que tem acaba entupindo e atinge as casas. Semana passada a água estava batendo no peito das pessoas, dentro das casas que alagaram", afirma.

Em nota, a Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos informa que tem executado uma obra para a substituição de tubos de 60 mm por 100 mm. A intervenção visa melhorar o escoamento das águas que descem da Rua 8. Na sequência, serão executadas obras para a recomposição da galeria de águas pluviais. Serão em torno de 800 metros de extensão, que vão melhorar o escoamento das águas de chuva até o rio Jundiaí.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: