Jundiaí

Comerciantes temem destino com novo fechamento

FASE VERMELHA A incerteza de mais duas semanas de portas fechadas preocupa trabalhadores


JORNAL DE JUNDIAI
População aproveitou último dia de funcionamento para as pendências
Crédito: JORNAL DE JUNDIAI

Até o próximo dia 19 todos o estabelecimentos comerciais e serviços considerados não essenciais devem permanecer fechados para atendimento presencial em todo o estado de São Paulo, que se encontra na Fase Vermelha, inclusive em Jundiaí.

De acordo com o decreto municipal divulgado ontem (5) pela Prefeitura de Jundiaí, a partir da meia-noite deste sábado (6) podem permanecer abertos locais como hospitais, farmácias, clínicas veterinárias, supermercados, postos de combustíveis, hotéis, bancos e lotéricas, lojas de material de construção e atividades religiosas de qualquer tipo desde que as normas sanitárias sejam seguidas. (confira lista completa no portal JJ).

Neste período, a circulação de pessoas e veículos nas vias públicas deverá se dar apenas para atividades estritamente necessárias das 20h às 5h.

A nova medida deixou comerciantes do Centro de Jundiaí indignados. A gerente de uma loja de roupas masculinas, Suellen Machado acredita que a ação não resolve o problema. "Não é o comércio que eles deveriam fechar. Aqui nós tomamos todas as precauções necessárias. Tenho nove funcionários, aluguel e diversas contas para pagar. O que ninguém leva em consideração é que são os comerciantes que mantêm o país. Eles fecham tudo, mas daqui duas semanas todo mundo volta desesperado porque abriu. Nosso sentimento é de indignação", afirma.

Emerson dos Santos é gerente de uma loja de roupas, também no Centro e acredita que o "abre e fecha" é um descaso com o comerciante. "Falar que esse não é um serviço essencial é um absurdo. Como eu explico para o meu filho que o trabalho do pai dele, que leva o alimento para casa, não é essencial? O que transmite o covid são as aglomerações sem uso de máscara dos bares, restaurantes e festas. O trabalho que fazemos aqui, tomando todas as medidas de proteção, não é o que faz as pessoas adoecerem", relata.

CORRERIA

Nem a chuva que atingiu a cidade impediu a população de lotar o comércio para pagar contas e resolver últimas pendências. A artesã Heloísa de Souza, de 53 anos, teve que aproveitar o último dia para repôr alguns materiais. "Eu fico a maior parte do tempo confinada em casa, mas temos que trabalhar. Aproveitei hoje (ontem) antes que fechasse para comprar os materiais que estavam faltando. Acho que a Fase Vermelha é difícil, mas necessária já que ninguém respeita", conta.

SHOPPING

Os shoppings também permanecem fechados durante o período. As lojas e restaurantes seguem operando via delivery e drive-thru e as compras para entrega ou retirada podem ser combinadas com as lojas.

TRANSPORTE

As mesmas 6 mil viagens que foram realizadas diariamente no último mês pelo transporte público, em Jundiaí, serão mantidas na Fase Vermelha, desta forma, contando com maior oferta que durante o pico do ano anterior.

Além dos totens de álcool em gel disponíveis nos terminais de transporte público, a Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT) irá instalar mais dispositivos para uso da população. A higienização dos veículos deverá ser intensificada, bem como a limpeza dos espaços das plataformas.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: