Jundiaí

Usuários relatam atraso e lotação no transporte mesmo na Fase Vermelha

ÔNIBUS As mesmas seis mil viagens que foram realizadas diariamente no último mês serão mantidas, mesmo com queda de 16% no número de passageiros


                    ALEXANDRE MARTINS
Julio Cesar da Silva relata que alguns passageiros reclamam da situação
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

O novo decreto municipal que restringiu a abertura apenas para estabelecimentos que realizam serviços essenciais na Fase Vermelha do Plano SP não alterou a frota do transporte público para as duas próximas semanas. Mesmo assim, alguns usuários relatam que os atrasos, assim como os ônibus cheios, têm permanecido em diferentes horários e linhas.

De acordo com a Prefeitura de Jundiaí, as mesmas seis mil viagens que foram realizadas diariamente no último mês, enquanto a cidade estava na Fase Amarela, com redução de 40% da frota original, serão mantidas com o objetivo de garantir o atendimento à população que usa o transporte público para se deslocar e aqueles que trabalham nos setores com funcionamento permitido, sem prejuízo de horários ou itinerários.

Quem utiliza o transporte público diariamente relata que os ônibus atrasam e estão sempre lotados. A doméstica Iris Santos, de 26 anos, precisa do serviço em dois horários diferentes todos os dias.

"Eu pego do Residencial Medeiros até o Terminal Eloy Chaves e depois até o Terminal Central para fazer fisioterapia e acupuntura todos os dias, pois estou afastada do trabalho por conta de um acidente. São compromissos com hora marcada. Quase sempre chego atrasada, pois o ônibus que era para passar no horário certo atrasa. Isso acontece desde reduziram a quantidade de veículos rodando. Espero que mantenham a palavra e não reduzam ainda mais a frota", espera.

O motorista Julio Cesar da Silva, 54 anos, acredita que a cidade está cumprindo com o que prometeu e não diminuirá a quantidade de ônibus rodando, mas admite que escuta reclamações dos usuários. "Alguns passageiros contam que os veículos atrasam e estão sempre cheios. Eu acabei de ser contratado para fazer parte da equipe que dirige os ônibus municipais. Acredito que se estão precisando de novos profissionais e isto significa que a frota não irá diminuir", afirma.

A doméstica Ana Aparecida, de 50 anos, afirma que os ônibus estão sempre lotados. Isso faz com que ela caminhe do Centro até a Ponte São João para conseguir um veículo mais vazio até a Colônia. "Do Central não tem como pegar. Ainda mais no horário que eu saio do trabalho. É sempre muito lotado e ninguém respeita. As pessoas se aglomeram e não usam a máscara corretamente. Por isso faço esse caminho todo dia para conseguir um ônibus mais vazio", relata.

SEGURANÇA

O reforço das demarcações nos espaços para evitar a aglomeração nos terminais está em andamento, bem como o incremento na oferta de dispenser de álcool em gel para uso da população. Também é realizada a higienização dos veículos diariamente. No início da pandemia, a Prefeitura de Jundiaí distribuiu mais de 140 mil máscaras de proteção em terminais, varejões, escolas municipais, bairros da cidade. Essas máscaras foram doadas por empresas à época.

Ainda de acordo com a Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT), no comparativo do dia cinco com o dia oito de março (primeiro dia útil da fase vermelha), houve, em média, uma redução de 16% do volume de passageiros. A UGMT realiza monitoramento permanente das viagens a partir do sistema de GPS, identificando possíveis problemas com carros (atrasos) para intervenções específicas na linha, inclusive com o aumento de ônibus no itinerário.

A unidade não informou sobre como está sendo realizada a fiscalização das medidas de segurança neste período.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: