Jundiaí

Moradores do Bom Jardim sofrem com falta de luz

Falhas que têm gerado prejuízos materiais para os produtores do local


DIVULGAÇÃO
O produtor rural Ricardo de Oliveira perdeu alimentos pela falta de luz
Crédito: DIVULGAÇÃO

Moradores da rua Michelim, no bairro Bom Jardim, têm sofrido com as constantes falhas de energia no bairro. Falhas que têm gerado prejuízo materiais para os produtores do local.

Segundo relata o produtor rural Ricardo de Oliveira, de 53 anos, pelo menos 1 mil quilos de mandiocas já descascadas e embaladas foram perdidas por falta de refrigeração devido a queda de energia da última terça-feira. Apesar de contatar a CPFL, concessionária responsável pelo fornecimento de energia, ele conta que ficou sem abastecimento por pelo menos 10 horas.

"Liguei no final da tarde, mas não me deram respostas sobre os motivos, só anotaram o problema e algumas informações. Além disso, me avisaram que iriam enviar um técnico e então, fiquei esperando até umas 21h30 no asfalto para que eles não se perdessem por aqui. Depois disso não me atenderam mais e só foram aparecer na madrugada", conta.

O apagão da última terça-feira (9), não foi o primeiro que Ricardo enfrentou. "Não temos problemas constantes com queda de energia aqui, mas duas semanas atrás, numa sexta, ocorreu a mesma situação e só voltaram a ligar no final da tarde de sábado, ou seja, fiquei mais de 24h sem energia e com isso, eu perdi 1,2 mil quilos de mandiocas. Naquela ocasião tinha ficado quieto e arcado com os prejuízos sozinho", conta.

Procurada, a CPFL Piratininga esclareceu que recebeu contato do cliente informado na noite do dia 9, após forte chuva atingir a região. A companhia enviou uma equipe e a energia foi normalizada entre a noite e a madrugada do dia seguinte.

Em relação a pedidos de ressarcimentos, a CPFL orienta aos clientes que entrem em contato por meio do seu canal de atendimento (0800 010 2570) para solicitar o ressarcimento seguindo os procedimentos padrões. A companhia esclareceu que os pedidos podem ser solicitados até 90 dias depois da ocorrência que teria danificado o aparelho ou causado o prejuízo.

A análise é realizada utilizando sistemas de alta tecnologia e certificados pelos órgãos reguladores competentes.

(Lucas Hideo)

Assista ao vídeo do morador relatando sobre as perdas 

 


Notícias relevantes: