Jundiaí

Após um ano de pandemia, Jundiaí segue com ações para conscientização e combate

A cada dia, mais medidas são tomadas para garantir atendimento no sistema de saúde


Divulgação
Pandemia completa um ano em Jundiaí
Crédito: Divulgação

Nesta semana, no dia 11 de março, fez um ano que a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a covid-19 como pandemia. Um dia depois, no dia 12 de março de 2020, Jundiaí confirmou o primeiro caso positivo de Sars-CoV-2. Desde então, enquanto pesquisadores e cientistas seguem em busca de medicamentos, o País corre para conter a disseminação do vírus que, nos últimos dias, chegou a índices alarmantes, praticamente colapsando o sistema de saúde do Estado de São Paulo. Em Jundiaí, a cada dia, mais medidas são tomadas para garantir atendimento no sistema de saúde, conscientizar a população e, por meio da adesão a inovadora pesquisa para o tratamento de casos de risco, auxiliar a ciência no enfrentamento ao vírus.

De acordo com o boletim do dia 12, o vírus já matou 658 pessoas. 23.378 casos foram registrados. A média móvel de mortes dos últimos sete dias é 3,86. Por outro lado, 25.991 pessoas se recuperaram. Com a nova onda de casos, em uma semana, o município ampliou o número de leitos em 105%, passando de 82 para 168 leitos exclusivos públicos para covid-19 no Hospital São Vicente de Paulo (HSV), com a abertura de mais 30 leitos de enfermaria e mais dois leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Regional (HR) para a retaguarda ao atendimento em demanda geral no HSV.

“Estamos vivenciando o momento mais crítico da pandemia. Faz um ano que não medimos esforços para conter a circulação desse vírus, alertando a população sobre a necessidade de se resguardar e se proteger, observando que a sociedade tem corresponsabilidade neste processo”, destaca o prefeito Luiz Fernando Machado.

Em Jundiaí, a rede foi mobilizada desde janeiro do ano passado, com a notificação dos primeiros casos suspeitos. Em março, foi formado o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus (CEC), composto por técnicos e especialistas. Também foi criado o Plano Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus, que realiza o monitoramento diário dos indicadores, desencadeando ações tanto para conter a circulação do vírus como para manter o atendimento ao cidadão.

A Unidade de Promoção da Saúde (UGPS) criou em cada região da cidade Unidades Sentinelas, as quais são estruturadas para o atendimento exclusivo de pessoas com síndrome gripal. Ainda foi criado o Central de Monitoramento covid-19, para o acompanhamento dos casos suspeitos. A Prefeitura também instalou totens de álcool em gel em equipamentos públicos, fez a distribuição de 140 mil máscaras de proteção em locais como terminais de ônibus, varejões e bairros da cidade, implantou protocolo de ampla testagem para mapear a doença, além de se antecipar garantindo insumos para a vacinação.

No início deste mês, em mais uma iniciativa, o município aderiu ao consórcio da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), que tem por objetivo adquirir vacinas contra o vírus Sars-CoV-2. No dia 24 de fevereiro, logo após o Supremo Tribunal Federal (STF) liberar os demais entes federados para a negociação e aquisição de doses de vacinas, a Prefeitura encaminhou ofícios para os laboratórios, indicando a intenção de comprar os imunizantes.

“Temos trabalhado sempre de modo criterioso e responsável, com a oferta de uma ampla rede de atendimento. Diariamente, analisamos o cenário epidemiológico e procuramos agir sempre de forma antecipada, tomando decisões preventivas e fortalecendo a estrutura hospitalar. O balanço que podemos fazer, passado um ano, é que a pandemia exigiu nova postura por parte dos governos e da população. Jundiaí tem buscado fazer a sua parte, sempre orientando as suas providências pelo instinto de preservação de nossa sociedade”, ressalta o prefeito Luiz Fernando.

Pesquisa

Na última quinta-feira (11), a Prefeitura de Jundiaí anunciou acordo de cooperação técnica entre o município de Jundiaí e o Hospital Alemão Oswaldo Cruz, para a realização de um estudo inédito com uso de um medicamento para prevenir hospitalização de pacientes com diagnóstico confirmado de covid-19. Cerca de 800 pacientes na cidade e mais 200 de fora devem participar da pesquisa.

De acordo com o gestor de Promoção da Saúde, Tiago Texera, é mais uma iniciativa que vai ao encontro da ciência, neste um ano em que o mundo enfrenta a pandemia de covid-19.

“A última pandemia vista pelo mundo foi há mais de 100 anos e em proporções bem menores. Nenhum sistema de saúde do mundo estava preparado para o que estamos enfrentando. Jundiaí sempre apoiou suas tomadas de decisões nos protocolos internacionais e também pautada na ciência. Estamos abrindo as nossas portas, a nossa rede para instituições renomadas de saúde para permitir o avanço da ciência no enfrentamento a esse vírus. Em paralelo, assim como na primeira onda, corremos para conter esse novo pico da segunda onda e pedimos a colaboração da população para manter o distanciamento social, o uso de máscara e de álcool em gel, a higienização das mãos e o respeito às diretrizes das fases estabelecidas pelo Plano São Paulo”, frisa o gestor.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: