Jundiaí

Receita Federal projeta 143 mil contribuintes em Jundiaí

Até esta segunda-feira (15), 21.941 pessoas enviaram suas declarações


                 ALEXANDRE MARTINS
O economista Thiago Rodrigues antecipou seus documentos do IR
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Desde o dia 1º de março, quando foi liberado as declarações de Imposto de Renda, a Receita Federal já recebeu 4.356.890 de documentos. De acordo com a unidade, são esperadas cerca de 32 milhões de declarações até o prazo de envio, dia 30 de abril.

Em Jundiaí, com base em 2020, a estimativa é de receber 143.663 declarações, com possibilidade de variação de 2% para mais ou para menos. Até esta segunda-feira (15), 21.941 pessoas enviaram suas declarações: 15,2 % da meta.

Um destes declarantes é o economista Thiago Rodrigues Miota, de 32 anos, que já se antecipou com os documentos. Desde os 21 anos ele faz a declaração e ele mesmo gosta de organizador seus próprios documentos.

"Eu mesmo gosto de fazer as minhas declarações. É uma forma de avaliar o ano que passou em termos financeiros. Como tenho um escritório que cuida da contabilidade da empresa, gosto de tirar dúvidas com os especialistas", diz.

O economista já enviou sua declaração deste ano. "Achei um processo bem tranquilo. Podemos ter muitos problemas em relação a burocracia ou eficiência do serviço público, mas em relação a cobrança de impostos, é notável a qualidade do processo", afirma.

Apesar da facilidade, é comum que as pessoas tenham dúvidas e sintam dificuldade. "Eu faço isso há muito tempo. Pode ser que eu esteja acostumado com os termos e a estrutura do programa. Não acho que qualquer um possa começar a fazer suas declarações de repente. Ainda que existam muitos tutoriais e fóruns de discussão. Por isso é sempre importante consultar quem entende do assunto, tirar as dúvidas e fazer a declaração da melhor maneira possível", encerra.

ORGANIZAÇÃO

O contador e sócio-diretor da Pró Jurídico Contabilidade, José Carlos Rodrigues, diz que é importante se organizar antecipadamente. O sucesso para a entrega da declaração do imposto de renda no prazo dependerá da organização prévia do declarante.

"O simples fato de antecipar e não deixar para última hora, além do risco do atraso na entrega, poderá representar pagamento de mais impostos ou deixar de economizar valores por falta desta simples organização. A falta de tempo poderá acarretar erros ou inexatidão nas informações. A consequência disso é a temida malha fina", explica.

Ele diz que o profissional não somente entende os trâmites como também se dedica integralmente. "O auxílio de um contador, especialista está sempre atualizado com a legislação em tempo real e sua experiência evita erros ou pagamento de imposto a mais e até mesmo evita que o contribuinte caia na malha fina."

José Carlos Rodrigues alerta ainda para o prazo que pode gerar multa. "A entrega fora do prazo penaliza o contribuinte com a multa de 1% do imposto anual devido a cada mês de atraso ou multa mínima, que em 2020 foi de R$ 165,74", ou seja, a entrega da declaração tem de ser completa, minuciosa e dentro do prazo determinado", orienta.

(Giovana Viveiros)

 


Notícias relevantes: