Jundiaí

No pico da pandemia, Jundiaí vivencia pior semana da covid-19

Nesta terça-feira, a cidade bateu recorde com total de ocupação de leitos: 366 pessoas


Divulgação
Teste covid
Crédito: Divulgação

Registrando 129 pessoas internadas somente no Hospital São Vicente de Paulo (HSV) na semana passada e 52 novos somente entre segunda e terça-feira por suspeita ou contaminação por covid-19, Jundiaí vivencia o pior momento da pandemia registrado na cidade desde o início da doença na cidade, em março do ano passado. Nesta terça-feira (16), a cidade bate recorde com total de ocupação de leitos: 366 pessoas entre hospitais público e privados internadas pelo Novo Coronavírus. O número é 48% maior que o pior dia registrado no pico da pandemia do ano passado.

De acordo com o gestor da Unidade de Gestão de Promoção de Saúde (UGPS) Tiago Texera, o padrão da pandemia mudou. “No ano passado o crescimento foi cadenciado, com pequenos aumentos. Para chegarmos ao pior momento levamos três meses. Nesta fase, estamos vivenciando um ‘tsunami’, com crescimento exponencial semana a semana superior a 50% a cada sete dias somente em relação à necessidade de leitos públicos. A cooperação da população é essencial para conseguirmos superar esta, que é a pior fase até o momento entre toda a pandemia”, comenta.

Em números
De acordo com dados da UGPS, o número de atendimentos de Síndrome Gripal, ou seja, pessoas com sintomas suspeitos para covid-19 que buscam pelos serviços de Saúde exclusivos para esses casos, aumentou em 36% em relação ao pior período de casos do ano passado. Enquanto na pior semana de julho de 2020 foram registrados 2.661 casos, na semana passada foram registrados 3.619 atendimentos. “É um crescimento de 35% na comparação direta. Desse quantitativo, 50% irá positivar para covid-19 e ao menos 10% necessitará de leito ainda nesta semana. Ou seja, aguardamos pelo menos mais 150 pessoas necessitando de um leito”, alerta o gestor.

A contenção da pandemia passa, necessariamente pela adoção das medidas sanitárias entre população, com o uso de máscaras, higienização frequente das mãos e distanciamento ou isolamento social. “Estamos na Fase Vermelha Emergencial, a mais restritiva do Plano São Paulo. No entanto, a taxa de isolamento de Jundiaí não se mantém abaixo de 35%, percentual registrado no período anterior à pandemia. O vírus pega carona com a população”, detalha.


Notícias relevantes: