Jundiaí

Gasolina não deve baixar a curto prazo

BOMBA Mesmo com a alta da Selic, para diminuir a inflação, há outros fatores que recaem sobre o preço


                  ALEXANDRE MARTINS
Eswamer Okada Casadei acredita que a gasolina continuará cara por agora
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Com variação de preço dos combustíveis entre um posto e outro, inclusive da mesma bandeira, o jundiaiense precisa optar pela pesquisa para não ter prejuízos na hora de abastecer. Pesquisa que deve durar mais um pouco já que a previsão é que o preço se mantenha em patamares elevados.

O etanol pode ser encontrado entre R$ 3,76 a R$ 4 o litro; a gasolina entre R$ 5,30 e R$5,40; e o diesel entre R$ 4,10 e R$ 4,40. Para os dois primeiros combustíveis, quem tem carro flex, pode optar pelo que mais compensa. Segundo frentista de um posto no Anhangabaú, Filipe Pereira Batista, a gasolina teve seis reajustes no período de um mês e só em uma semana foram dois aumentos, mas neste último o álcool não subiu.

"A gasolina comum está sendo mais procurada que o etanol no momento porque este teve dois aumentos abusivos e estabilizou, mas o cliente está preferindo a gasolina."

Para o consumidor Vicente Paulo Pinardi optar pela gasolina tem sido melhor para o bolso. "Eu não tenho feito comparação porque não gosto de álcool, mas a gente percebe que a cada dia está mais caro. Estava até comentando o absurdo do preço", conta ele afirmando que a alteração da Selic não vai reduzir o preço dos combustíveis.

Em outro posto, também no Anhangabaú, a gerente Juliana Alves, acredita que o etanol esteja compensando mais no momento. "O cliente dá preferência para o etanol e o preço vai baixar mais nas próximas semana porque está começando a safra da cana-de-açúcar, com início em abril", orienta ela sobre o fator que deve diminuir o preço do álcool.

Cliente do local, a pedagoga Gislaine Guedes diz que sempre acha o etanol mais vantajoso. "Sempre abasteço com etanol por conta do custo-benefício. Hoje perguntei sobre o que compensava, coloquei álcool. O etanol estava R$ 3, agora já está R$ 4, aumento de cerca de 30%. Os reajustes salariais não acompanham isso."

Também cliente do posto, o professor Eswamer Okada Casadei também acredita que o preço dos combustíveis não deve abaixar tão cedo. "Eu só uso gasolina, mas agora está complicado, tem que começar a fazer os cálculos. Não esperava que fosse aumentar tanto, acho que bate os R$ 6 primeiro que o dólar. Acho que se a moeda sobe, a tendência é o combustível acompanhar. Acho que tão cedo não vai diminuir o preço."

CONTA

Para tentar deter esta alta, o Banco Central (BC) anunciou o aumento da taxa Selic, taxa básica de juros da economia que dita os juros de empréstimos, financiamentos e aplicações financeiras, por exemplo. Segundo a economista Gislaine Tonetti, esta medida faz com que o consumo seja desestimulado e a inflação caia, pela lei da oferta e procura.

"A gente trabalha com o sistema de metas de inflação. Ela está dentro da meta, porém alta. Quando aumenta a Selic, outras linhas de crédito ficam mais caras e fica inviável para as pessoas emprestarem dinheiro, de modo que tenham menos acesso a crédito. Se consomem menos, vende menos e a inflação cai. Também estimula as pessoas a guardar dinheiro. Se consumirem menos combustível, tende a diminuir o preço", explica.

Porém, pode ser que o tiro saia pela culatra, devido aos demais fatores que compõem o valor do produto. "Na pandemia, teve demanda sem produto, quer dizer, as pessoas procuravam, mas o mercado não conseguia abastecer, então o preço sobe. O combustível não estava tão procurado, mas o petróleo é cotado em dólar. O governo mexer na taxa de juros para controlar a inflação funciona há anos, mas não dá para saber se só isso impacta o preço do combustível. Acho estranho aumentar a taxa de juros no meio da pandemia e tenho dúvida se isso vai gerar reflexo agora", diz Gislaine.

CÁLCULO

Para descobrir qual combustível compensa mais, é preciso dividir o preço do litro do etanol pelo da gasolina. Se o resultado for inferior a 0,7, o álcool compensa mais, se for maior que 0,7, a gasolina é melhor.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: