Jundiaí

Mesmo em alerta AUJ descarta lockdown

No AUJ a situação dos casos de covid é a pior desde o início da pandemia


DIVULGAÇÃO
Luiz Fernando Machado disse que não haverá lockdown em Jundiaí
Crédito: DIVULGAÇÃO

No Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ), a situação dos casos de covid é a pior desde o início da pandemia, com índices altos de contaminação e leitos no limite da capacidade, mesmo assim os prefeitos descartaram a possibilidade de um lockdown.

Em Jundiaí, apenas nesta semana, foram totalizados 103 internações no Hospital São Vicente de Paulo e, se continuar crescendo neste ritmo, o número de internações deverá superar a semana anterior, quando 129 pessoas deram entrada no hospital. "A situação é grave, precisamos que todos tenham consciência e evitem a circulação desnecessária e aglomerações", alertou o prefeito Luiz Fernando Machado durante uma live.

Ele lembrou que no sistema público e privado de Jundiaí, 401 pessoas estão ocupando um leito covid atualmente. O recorde era de 247, em julho do ano passado. Estes números mostram que o limite de leitos está próximo.

Para conter o avanço dos casos, o prefeito afirmou que a administração municipal intensificará medidas de fiscalização para coibir aglomerações, além de estar tentando viabilizar a compra de vacinas. "Temos reserva financeira para aquisição de 100 mil doses", declarou.

Ele apela ao apoio da população no cuidado próprio e com o próximo, crucial para conter a circulação do vírus e a consequente pressão nos sistemas hospitalares.

Como medida local, a prefeitura anuncia a intensificação da fiscalização. O Projeto de Lei que estabelece aplicação de multas em casos de descumprimento de normas sanitárias, como a promoção de aglomerações, ainda não está em vigência e aguarda a conclusão da análise jurídica para oportuna deliberação.

Apenas na semana passada, 3,3 mil pessoas procuraram uma Unidade Sentinela de Jundiaí, voltada para atendimento covid-19, com sintomas da doença. "Desse total, 50% foram confirmadas como casos positivos e, nesse grupo com a doença, de 9% a 10% estão procurando o sistema hospitalar", declarou o gestor de Saúde Tiago Texera.

Segundo dados apresentados, há mais jovens necessitando de leitos agora do que na "primeira onda". O número de internados com idade inferior a 60 anos aumentou 10%. O número de óbitos em pessoas com idade inferior a 60 anos também apresentou crescimento, de 10,40%.

REGIÃO

Campo Limpo Paulista informa que está aumentando a fiscalização, principalmente no final de semana, para conter aglomerações. No município, é estudada a ampliação dos 23 leitos covid, que têm ocupação de 87% atualmente.

Louveira também desconsidera o lockdown agora e faz fiscalizações. Em parceria com a Santa Casa, a prefeitura abriu um Hospital de Campanha com 12 leitos de enfermaria. Ontem, foram instalados mais quatro leitos no local. Ainda houve ampliação de UTI, de cinco para 10 leitos, e a criação de três leitos de cuidados intermediários.

A Prefeitura de Várzea Paulista informa que há operações conjuntas com a Guarda Municipal, Segurança Pública, Fiscalização do Comércio e Vigilância Sanitária. A Unidade Gestora Municipal de Saúde informa que a capacidade do Hospital Municipal, que tinha sete leitos covid, precisou ser ampliada, na última quarta-feira (17), para 21. 100% estão ocupados.

O município de Cabreúva também não terá lockdown. A cidade recentemente abriu mais 10 leitos destinados à covid-19. Secretaria de Segurança e Defesa Social, Polícia Militar, Secretaria de Mobilidade Urbana, Vigilância Sanitária e Fiscalização do Comércio estão fazendo a Operação Controle de Aglomerações para evitá-las e fiscalizar comércios.

Os municípios de Jarinu e Itupeva não responderam o JJ até o fechamento desta edição.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: