Jundiaí

Terapias complementares dão alívio para sequelas da covid


             ALEXANDRE MARTINS
Agar Travaini revela que a acupuntura pode curar e aliviar dores e doenças
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Atualmente, muitas práticas são utilizadas para amenizar ou até mesmo curar dores e problemas. As chamadas terapias complementares são técnicas que se utilizam de todos os recursos de métodos terapêuticos, não dispensando a importância da medicina convencional e sempre colocando as necessidades individuais do paciente em primeiro lugar.

Um exemplo muito conhecido e utilizado no oriente até para prevenir possíveis doenças é a acupuntura. Técnica do ramo da medicina tradicional chinesa que por meio de finas agulhas, estimula pontos relacionados aos órgãos.

A acupunturista Agar Travaini explica que a técnica,

além de possuir inúmeros benefícios, pode ser usada de forma preventiva, pois melhora a imunidade corpórea, diminuindo a incidência de doenças. "Nas sessões, as agulhas penetram a pele atingindo canais de energia, que mandam mensagens para o cérebro, se encarregando de produzir substâncias ao organismo. Entre os diversos benefícios, a acupuntura auxilia no alívio dos sintomas da TPM como cólicas e dores, trata a infertilidade, auxilia em enxaqueca e dores de cabeça crônicas, trata insônia, diminui efeitos colaterais da radio e quimioterapia, diminui os índices glicêmicos, entre muitos outros", revela.

A acupuntura não tem contraindicação. Somente a cautela com os pontos. As sessões variam com os casos, mas costumam ser de 30 a 40 minutos. "De recém-nascidos a idosos. A técnica é indicada para todos, com exceção de pacientes com doença hemorrágica", explica Agar.

Valéria Marcaro é exemplo dos benefícios que a técnica traz. Começou o tratamento há dois anos. "O principal motivo que me fez procurar esse tipo de medicina foi a vontade de engravidar. Tentava há cinco anos e não conseguia. A acupuntura trata a saúde como um todo e senti melhora em relação à enxaqueca e dores na coluna que sentia. Além disso, consegui o que mais queria. Estou grávida de 25 semanas. Hoje afirmo que não consigo mais viver sem a acupuntura", relata.

A anestesiologista Ana Claudia Vaz Tostes Moreno conheceu a técnica depois que foi infectada pelo covid-19. Mesmo curada, mantinha sintomas da doença como cefaleia diária, fadiga, taquicardia e dores articulares. "Em menos de um mês de tratamento a maior parte desses sintomas parou. Fiquei surpresa quando até meu exame cardiológico (ecocardiograma) ficou melhor. A melhora que tive nesse curto espaço de tempo me faz confiar cada vez mais no tratamento", afirma.

OZONIOTERAPIA

A ozonioterapia consiste num processo em que é administrado gás de ozônio no corpo para tratar alguns problemas de saúde. O ozônio é um gás composto por três átomos de oxigênio que tem importantes propriedades. De acordo com a ozonioterapeuta Simone Ferreira de Souza, 44 anos, a aplicação traz benefícios, pois fornece mais oxigenação para as células. "O ozônio é imunomodulador, antiinflamatório, analgésico, desintoxicante, neutralizador de substâncias nocivas, antibiótico, antiviral e antifúngico. Auxilia no tratamento de mais de 260 patologias e é excelente para dores musculares e articulares. Além de apresentar excelentes resultados na estética para redução de gordura, celulite, estrias e secagem de vasos.

A técnica não é recomendada para pacientes com deficiência de F6PD, hipertireoidismo descompensado, anemia grave com hemólise e trombocitopenia. "Pode ser feita por em qualquer idade, porém o peso mínimo precisa ser três quilos. A duração de tratamento e frequência de sessões depende do grau de debilidade do paciente, mas o mínimo é uma vez por semana, podendo ser local através de injeção, bag de ozônio, óleo ozonizado, insuflação retal ou soro ozonizado subcutâneo", afirma Simone.

AROMATERAPIA

Aromaterapia é uma prática terapêutica que se utiliza de óleos essenciais, substâncias naturais produzidas por plantas medicinais aromáticas e atuam no corpo, na mente e no estado emocional.

A aromaterapeuta Salete Pimentel, 56 anos, trabalha com a técnica há 13 anos e conta que entre os benefícios estão relaxamento, melhora do humor, raciocínio e memória, redução de estresse, ansiedade, depressão, síndrome do pânico, entre outros. "Como a natureza é rica em princípios ativos e os óleos essenciais nos trazem essa riqueza é possível aliviar e tratar, sintomas, doenças, síndromes e comorbidades. Dores articulares como artrites, artrose, dores musculares, enxaqueca, ansiedade, depressão, obesidade e compulsões, fibromialgia, insônia, angústia, hipertensão e menopausa. Tudo isso pode ser tratado", conta.

Salete ressalta que não há contraindicação para a técnica, somente algumas restrições de óleos. "Alguns deles não podem ser usados em gestantes, lactantes ou hipertensos e a dosagem depende da idade do paciente. Por isso, é essencial consultar um profissional qualificado, de preferência formado na área da saúde", afirma.

(Mariana Checoni)


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: