Jundiaí

Chás de ervas medicinais levam à conexão e estilo de vida natural


     ALEXANDRE MARTINS
Mariana Parra acha importante e indica chás para seus pacientes
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

O consumo de chás e folhas medicinais tem crescido cada vez mais, tendo em vista que muitas pessoas buscam aumentar a imunidade durante a pandemia de um jeito mais natural e menos invasivo. Outro objetivo comum é o de melhorar o bem-estar e a qualidade de vida.

Segundo a nutricionista Mariana Duarte de Parra, de 32 anos, os chás são capazes de potencializar as propriedades das plantas e geram muitos efeitos positivos. "Existem diversos tipos de chás com efeitos diuréticos, laxantes, tranquilizantes, digestivos, antigripais, emagrecedores e antioxidantes. Além disso, eles ajudam no controle da hidratação do corpo, melhoram a retenção de líquido e o funcionamento do intestino", explica.

Trata de uma bebida acessível, de rico potencial na prevenção de diversas doenças. "Diversas partes das plantas podem ser utilizadas, como as folhas naturais, secas, raízes, cascas e caules", completa a nutricionista.

Mariana costuma indicar o consumo de chás para seus pacientes, de acordo com as necessidades de cada um. "Gostos de indicar chá verde, gengibre e canela como anti-inflamatórios. O chá verde também ajuda no metabolismo, o de gengibre atua na parte digestiva e o de canela ajuda na saciedade. Existem também os calmantes, que são inclusive usados a noite para melhorar o sono, como erva doce e camomila", diz.

Uma das sensações do momento, o kombucha, é uma bebida fermentada feita a partir do chá preto adoçado. As leveduras e bactérias presentes fortalecem o sistema imunológico, além de melhorarem o funcionamento da flora intestinal.

Amante dos chás, a terapeuta integrada Júlia Cândido Tavares, de 22 anos, consome a bebida desde a infância. "Tomo chás desde pequena, minha avó e minha mãe tinham costume de fazer um chá de camomila quando eu tinha cólicas ou estava muito agitada", diz.

O gosto se tornou mais efetivo quando entrou para a faculdade. "Faço graduação em Naturologia e tenho uma disciplina chamada Medicina Botânica. Nela, aprendo sobre plantas e ervas medicinais. Me tornei meu próprio estudo, experimentando diversas ervas e sentindo o impacto delas no meu organismo", completa.

Ela explica que os chás promovem um outro tipo de conexão entre o meu corpo e a natureza. "Me sinto integrada aos ciclos naturais, consigo perceber em mim qual erva preciso de acordo com o que estou sentindo. Compreendo a necessidade dos medicamentos tradicionais em alguns casos, mas sou entusiasta do tratamento por meio das plantas medicinais, que são menos invasivas e mais naturais", conta a universitária.

Júlia está acostumada a fazer uso de diversos chás, como os de camomila, hortelã e alecrim, além do kombucha, que consome com frequência. "Acho ele uma ótima alternativa, pois é gostoso e saudável. Por se tratar de um chá fermentado com açúcar, ele possui leveduras que provocam melhoras significativas na minha flora vaginal e intestinal. Sinto meu corpo mais calmo e limpo, como se estivesse em processo de desintoxicação", afirma.

Existem muitos estudos que comprovam a eficácia de tratamentos com ervas medicinais. "Hoje em dia raramente tomo remédios convencionais. Consigo tratar praticamente todas as minhas questões, tanto físicas quanto emocionais, com chás. As ervas possuem mais de quatrocentos princípios ativos e trabalham de forma integrada, promovendo maior contato com a natureza e ajudando a dar atenção ao que precisa ser cuidado naquele momento. Acredito e confio na fitoterapia, uma ciência milenar que estuda as plantas medicinais e sua aplicação para nossa saúde.", encerra Júlia.

ALTERNATIVAS

Pra quem não gosta de tomar chá, existem algumas alternativas que podem facilitar a introdução dessa bebida no dia a dia. O mais importante é conhecer seus efeitos.

"É legal misturar pedaços de frutas na solução, para mudar o sabor. As pessoas também podem optar por misturas com diferentes ervas, de acordo com o próprio paladar.", aponta. "Os chás aromatizados são vendidos em lojas, mas é sempre bom escolher as opções orgânicas e mais naturais possíveis. Alguns deles têm sabores diferenciados e chamam a atenção. Em último caso, é possível fazer pedidos em farmácias de manipulação, de cápsulas com as propriedades medicinais dessas plantas", sugere a nutricionista Mariana Duarte.

(Giovana Viveiros)


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: