Jundiaí

DAE amplia a reserva, mas alerta sobre consumo consciente

Represa com mais capacidade e novos reservatórios de água tratada garantem a segurança hídrica de Jundiaí


Divulgação
Represa de acumulação de Jundiaí
Crédito: Divulgação

Uma represa com mais capacidade de armazenar água bruta e novos reservatórios de água tratada garantem a segurança hídrica de Jundiaí, referência nacional em saneamento graças ao trabalho desenvolvido pela DAE. Apesar disso, no Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de março, a empresa alerta sobre a necessidade do consumo consciente deste recurso, cada vez mais escasso.

Desde que teve início a pandemia do Coronavírus, a importância de lavar bem as mãos com água e sabão tornou-se ainda maior: segundo recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), somado ao uso correto de máscaras de proteção e ao distanciamento social, o ato é necessário para evitar a propagação do vírus.

Em Jundiaí, que conta com saneamento universalizado, essas medidas tornam-se viáveis já que 99,07% da população atendida tem rede de água, segundo o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS). São1.959,72 quilômetros de extensão da rede de água, que estão em ampliação.

As bacias hidrográficas de abastecimento público da cidade também são fiscalizadas diariamente. A iniciativa atende à lei municipal 2405/1980, uma das pioneiras na preservação do meio ambiente no Brasil, que disciplina o uso do solo para proteção das coleções de água e demais recursos hídricos de interesse do município.

“A fiscalização atua no sentido de reduzir os impactos ambientais sobre os recursos hídricos, seja por conta de contaminação por lançamentos irregulares ou desmatamento de áreas ciliares, além de analisar a implantação de novos empreendimentos e atividades nas áreas de mananciais”, explica o diretor de Mananciais, Martim Ribeiro.

Represa

Desde o início de março, a represa de Acumulação de Jundiaí opera com 100% da capacidade, utilizando apenas o rio Jundiaí Mirim. A reversão do rio Atibaia foi desligada no fim de fevereiro, resultado do trabalho assertivo desenvolvido pela equipe técnica da DAE.

A situação ‘confortável’ não é a mesma dos demais sistemas do Estado de São Paulo. Segundo dados da Sabesp, o Sistema Cantareira apresenta 51% de sua capacidade total, o Alto do Tietê está com 62,1% e Guarapiranga com 75,2%.

Novos hábitos

A população deve colaborar e fazer o uso racional da água, adotando novos hábitos no dia a dia, como tomar banhos de até cinco minutos, escovar os dentes com a torneira fechada, retirar os restos de comida antes de lavar a louça, varrer a calçada ao invés de usar a mangueira, usar um regador para molhar as plantas e evitar lavar o carro.

Outra dica importante é ficar atento a vazamentos. Para isso, basta fazer o teste noturno: antes de dormir, feche as torneiras, verifique se o hidrômetro não está girando e anote os números, inclusive os de cor vermelha; no dia seguinte, pela manhã, antes de utilizar a água novamente, copie novamente os números e compare-os. Qualquer alteração pode ser indício de um vazamento.

Em caso de dúvidas, a Central de Relacionamento da DAE está à disposição pelo telefone 08000 133 155. A ligação é gratuita e o atendimento 24 horas.


Notícias relevantes: