Jundiaí

População do Novo Horizonte pode enviar sugestões para o Plano de Bairro até 31 de março


Divulgação
Novo Horizonte aérea
Crédito: Divulgação

Os moradores do Jardim Novo Horizonte e entorno têm até 31 de março para enviar suas sugestões para o Plano de Bairro da região, desenvolvido pela Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente (UGPUMA), que registra os desejos, oportunidades e ações para melhorar a qualidade de vida dos munícipes. Para participar é simples, basta enviar e-mail com as sugestões para [email protected]

Além das manifestações de munícipes, na última semana o Departamento de Urbanismo da UPGUMA recebeu as sugestões apresentadas pelo Coletivo Vetor Oeste. Dentre os apontamentos feitos por 62 integrantes, estão o pedido de criação de áreas para lazer da família, espaços para o desenvolvimento de atividades sociais e esportivas, realização de varejão noturno e incentivo à instalação de diferentes tipos de comércio.

Outros pedidos foram o plantio de mais árvores, a ocupação com paisagismo das áreas onde estão as linhas de alta tensão, a transformação das áreas públicas em bosques e locais de convivência social, com segurança e principalmente iluminação, inibindo o uso impróprio do espaço, e a oferta de ciclofaixas para bicicletas.

“Algumas dessas demandas já estão sendo trabalhadas, como a arborização da região. Em parceria com a Unidade de Desenvolvimento Ambiental – Unidam, estamos desenvolvendo um projeto para o plantio de árvores em várias ruas do bairro. Na pesquisa feita em dezembro de 2020, identificamos que 87% dos moradores gostariam que o bairro tivesse mais árvores e, desses, 72% aceitariam o plantio em frente às próprias residências”, comenta a diretora do Departamento de Urbanismo da UGPUMA, Sylvia Angelini.

Para o entorno das escolas também há ações previstas: as áreas públicas serão requalificadas e utilizadas como apoio ao programa de desemparedamento das crianças, promovido pela Unidade de Gestão de Educação, que preconiza o uso de espaços ao ar livre e em contato com a natureza para o desenvolvimento das atividades escolares. “Tudo isso se encaixa no contexto da política da criança na cidade”, lembra a diretora.

No dia 25 de fevereiro, a proposta de trabalho foi discutida no Conselho Municipal de Política Territorial (CMPT). “Apresentamos aos membros do Conselho o plano de trabalho e as demandas identificadas para o bairro a partir do diagnóstico preliminar. E pedimos que eles participem com o poder público da definição das ações prioritárias, tendo em vista que nem todas as solicitações poderão ser atendidas”. Na reunião seguinte, em 18 de março, o Plano de Bairro foi novamente tema de discussão entre os conselheiros, que deverão apresentar formalmente suas considerações sobre o trabalho.

O que é o Plano de Bairro?

É um instrumento do Sistema Municipal de Planejamento e Gestão Territorial, instituído no art. 7º do Plano Diretor do Município – Lei nº 9.321/2019, em conjunto com o Plano Plurianual – PPA, a Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO, a Lei Orçamentária Anual – LOA, o Código de Obras e Edificações, entre outros.

O Plano irá apresentar um diagnóstico do bairro a partir do olhar das crianças e de seus cuidadores, que vão apresentar um diagnóstico do bairro a partir do olhar das crianças e seus cuidadores, para a criação de espaços mais seguros, saudáveis e amigáveis para todos.

“Convidamos os moradores da região do Novo Horizonte que possam enviar suas sugestões até o dia 31 de março e participar desse processo democrático de desenvolvimento urbano sustentável”, afirma o gestor da UGPUMA, Sinésio Scarabello Filho.

A partir do processo de escuta e do diagnóstico técnico, a equipe envolvida no trabalho irá definir as diretrizes e ações que poderão ser implantadas ao longo dos próximos anos, de acordo com a disponibilidade financeira do município e com a ordem de prioridade que for definida.


Notícias relevantes: