Jundiaí

Guarda Municipal atende 73 casos de aglomeração em uma semana em Jundiaí

O trabalho tem sido feito mediante denúncias recebidas pelo telefone 153 e pelo APP Jundiaí


Divulgação
Equipes da GM e PM estiveram na região da Santa Clara realizando ações de orientação para a população
Crédito: Divulgação

Devido ao aumento de casos de contaminações pelo coronavírus, a Prefeitura de Jundiaí teve de expandir sua quantidade de leitos hospitalares. Além do Hospital São Vicente, Pronto Atendimentos e Unidades de Saúde estão internando pacientes com covid-19. Em 25 dias, Jundiaí teve um crescimento de 152 para 504 pessoas internadas.

Mediante à grave situação, a Guarda Municipal de Jundiaí tem feito ações em diferentes regiões da cidade para coibir aglomerações, com objetivo de que sejam cumpridas as recomendações das autoridades sanitárias do país. O trabalho tem sido feito mediante denúncias recebidas pelo telefone 153 e pelo APP Jundiaí. No prazo de uma semana, do dia 19 até esta quinta-feira (25), a GM atendeu 73 casos do tipo.

“Equipes da GM que estão no patrulhamento têm atendido diversas demandas de aglomeração 24 horas por dia, sem afetar as outras ocorrências que chegam para o Centro de Operações Táticas 153 Emergência”, explica o comandante da GMJ, Benedito Marcos Moreno. “Estamos alinhados com a Polícia Militar neste trabalho conjunto de conscientização e orientação.”

Os casos ocorreram em diferentes bairros de Jundiaí, em lojas de conveniência, adegas, bares, praças, espaços próximos a supermercados e pesqueiros.

Jundiaí também iniciou, a partir de um trabalho conjunto entre Guarda Municipal, Polícia Militar e Fiscalização de Trânsito, blitzes sanitárias nas entradas e saídas da cidade. Essas ações tem por objetivo proteger a nossa população e orientar motoristas que eventualmente venham de outros municípios para cá, como da capital, que terá alguns feriados antecipados.

Trabalho integrado
Outras ações também estão sendo desenvolvidas todos os dias pela Fiscalização do Comércio, em parceria com a GMJ, a Vigilância Sanitária e o Procon. Do dia 19 até esta quinta-feira (25), a Fiscalização fez 109 ações, entre notificações, averiguações e autos de infração, para aqueles que não cumpriram a notificação de encerrar a atividade, nos mais diversos comércios, como bares, adegas, comércios de rua, lava car e lanchonetes.

Segundo a chefe da Divisão de Fiscalização do Comércio e do Ambulante, Cristina da Fonseca, inicialmente são sempre estabelecidos o diálogo e a orientação. “Nós conversamos e explicamos o que precisa ser feito e o motivo de nosso trabalho”, declara. “Mas percebemos que, apesar de não promoverem aglomerações, alguns comércios insistem em ficar abertos mesmo com a não permissão.” No caso de estabelecimentos autuados, a multa é de R$ 1.809,30, podendo dobrar em caso de reincidência. Denúncias podem ser feitas pelo telefone 156. Se houver persistência, após a multa, o estabelecimento poderá ter o seu alvará cassado e ainda ser responsabilizado por infração contra a saúde pública.

Vigilância Sanitária
A Vigilância Sanitária, em sua atuação no combate à proliferação da covid, fez 42 fiscalizações sanitárias entre o dia 19 e esta quinta-feira (25). Foram averiguados serviços de saúde, alimentação, comércios varejistas de alimentos, fabricação de produtos e atividades de ensino, religiosas e administrativas. Desse total de 42 ações, 12 foram feitas pelo telefone 156, canal da Prefeitura que recebe as denúncias dos munícipes.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: