Jundiaí

Em um ano, 3,2 mil MEIs foram abertas em Jundiaí

2021 Setor de serviços foi o que mais cresceu no primeiro trimestre, com total de 1.056 novas aberturas


       ALEXANDRE MARTINS
As irmãs Ana Paula e Kelly Insinia abriram MEI em setembro do ano passado para serem sócias na empresa
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

O número de microempreendedores individuais (MEIs) teve um aumento significativo durante a pandemia. Em um ano em Jundiaí 3,2 mil novas empresas foram abertas. Até o momento, a cidade possui 15.748 MEIs ativas contra 12.548 de março do ano passado.

De acordo com as Unidades de Governo e Finanças e de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia da prefeitura de Jundiaí, dos CNPJs ativos atualmente, 35% são de MEIs, com o setor serviços se destacando no primeiro trimestre.

As empreendedoras e irmãs Kelly de Oliveira Insinia, 38 anos e Ana Paula de Oliveira Liba, 33 anos, sócias em uma empresa de balões personalizados, estão dentro desta estatística. A abertura da empresa aconteceu em setembro do ano passado.

"A Ana Paula morou fora por um tempo e quando voltou, eu e ela com filhos pequenos, decidimos nos dedicar a eles e saímos dos nossos empregos. Mesmo com a decisão, a vontade de continuar trabalhando, dessa vez com um negócio próprio, fez com que pesquisássemos os ramos existentes e descobrimos o mundo dos balões personalizados, já que as crianças se encantam tanto pelo item", conta Kelly.

O que começou pequeno, em uma página na internet, cresceu e já é sucesso. "O primeiro balão que fizemos foi para a maternidade, quando a Ana teve sua segunda filha, hoje com 11 meses. Em abril do ano passado criamos um Instagram e começamos a mandar orçamentos por lá. Não imaginávamos que cresceria tanto, mas felizmente cresceu. Em setembro, decidimos abrir as MEIs. Como nós queríamos ser sócias e não funcionárias, cada uma abriu uma MEI com o mesmo nome fantasia e isso nos permite ter benefícios", afirma.

Para as irmãs, a abertura da MEI gerou vantagens que antes não tinham. "Conseguimos comprar nossos produtos de fornecedores que vendem apenas para pessoas jurídicas com valor diferenciado. Consequentemente, conseguimos vender nossos produtos para empresas e não apenas pessoas físicas. Além disso, somos autônomas e assim nos ajuda a dedicarmos a maternidade sem abrir mão da nossa vida profissional. Fora que não temos gastos adicionais como taxas e impostos", revela Kelly.

NÚMEROS IMPORTANTES

Em 2021, 1.056 novas empresas foram abertas no setor de serviços em Jundiaí contra 750 do mesmo período de 2020. O setor de comércio vem em seguida, com 185 novas MEIs em 2021. Em 2020 eram 103.

Os números da indústria não foram muito significativos, mas também registraram aumento. Em 2020, apenas uma MEI foi aberta no primeiro trimestre, já em 2021, sete novas já foram registradas.

Segundo o gestor de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Cristiano Lopes, atualmente a MEI está sendo uma alternativa para as pessoas que estão perdendo seus empregos ou querendo agregar renda extra na família. É um sinal de que as pessoas estão buscando empreender.

"Trata de uma novidade para muitos trabalhadores neste momento, pois muitos estão sendo forçados a esse cenário. São inúmeras vantagens. O imposto é baixo, uma taxa de R$50 a R$60. O faturamento é até R$8 mil por mês. Além disso, não é preciso contratar contador e não há gastos adicionais, pois muitos negócios acontecem dentro das próprias casas. Isso é muito importante para quem está começando", afirma.

Futuramente, o aumento das MEIs pode gerar mais empregos na cidade, pois é porta de entrada para o surgimento de um negócio de sucesso. "O trabalhador se prepara para empreender, investir e aprender a negociar. Se ele for bem orientado e tiver apoio, com certeza as MEIs poderão virar grandes empresas na cidade. Hoje em dia, as pessoas não querem mais depender financeiramente de ninguém", conta Lopes.


Notícias relevantes: