Jundiaí

COLUNA DO MARTINELLI: Dezesseis de abril, Dia Mundial da Voz


T_martinelli
Crédito: Reprodução/Internet

A Voz é o instrumento da comunicação na maioria dos processos de interação humana. Trata-se do som produzido na laringe pela vibração das pregas vocais e é utilizado como meio de expressão desde o nascimento, através do choro, do riso e da fala.

Constitui-se no instrumento de trabalho de 70% da população (cantores, atores, jornalistas, locutores, professores, vendedores, operadores de telemarketing, advogados, entre outros). O Dia Mundial da Voz é comemorado no dia 16 de Abril. A celebração foi iniciada no Brasil em 1999 e a partir de 2003 alcançou expressão internacional, com diversos eventos organizados também nos Estados Unidos, Europa e Ásia.

Segundo a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, o objetivo da comemoração é promover a conscientização da população sobre a importância da voz para a promoção da saúde, bem como chamar a atenção para os sinais e sintomas que favoreçam o diagnóstico precoce de doenças que podem comprometer a qualidade de vida e a própria sobrevida dos indivíduos.

No Dia Mundial da Voz, organizações de saúde e comunidade médica promovem rastreios gratuitos nos hospitais e alertam a população para os cuidados a ter com a voz, prevenindo a detecção precoce de eventuais problemas, providências suspensas em razão da pandemia.

Para preservar a voz é recomendável beber bastante água, não gritar em excesso e não fumar. Cuidar da saúde vocal é imprescindível para manter uma boa qualidade na comunicação oral. E por ocasião da data, aproveitamos para homenagear os radialistas que diariamente se utilizam da voz para propiciar alegria, informação e entretenimento a milhares de pessoas.

Também não podemos nos esquecer do “Rei da Voz”. Numa época em que gravar um disco era uma tremenda dificuldade, ele foi considerado o mais profissional de todos os cantores da época de ouro do rádio brasileiro. Falamos de Francisco Alves, o artista que mais gravou em seu tempo, perto de mil músicas, lançadas em 520 discos de 78 rotações. Sua carreira parou tragicamente, após acidente de automóvel na Via Dutra em 27 de setembro de 1952, quando regressava ao Rio de Janeiro depois de se apresentar em São Paulo. Decorridos mais de cinqüenta anos, ele continua reinando com o seu precioso título e encantando-nos com sua voz de veludo.

JOÃO CARLOS JOSÉ MARTINELLI é advogado, jornalista, escritor e professor do Centro Universitário Padre Anchieta de Jundiaí. Ex-presidente das Academias Jundiaienses de Letras e de Letras Jurídicas ([email protected])


Notícias relevantes: