Jundiaí

Especialista em doenças infecciosas, tem papel importante na medicina

Dados da Demografica Médica de 2018, órgão do Conselho Federal de Medicina, a especialidade apresenta apenas 3.746 médicos, ou seja, 1,0 na distribuição dos títulos de especialistas


VACINA SARAMPO DOUTORA MARCIA BORGES MACHADOPEDIATRA
Crédito: Reprodução/Internet

O Dia do Infectologista é comemorado neste domingo, 11 de abril, como forma de homenagear o médico especialista em doenças infecciosas e parasitárias, tais como dengue, febre amarela, hepatites e esquistossomose.

Mais do que nunca, esses profissionais estão em evidência devido a pandemia, mas ainda não são a maioria na profissão.

Dados da Demografica Médica de 2018, órgão do Conselho Federal de Medicina, a especialidade apresenta apenas 3.746 médicos, ou seja, 1,0 na distribuição dos títulos de especialistas. A média de idade dos médicos infectologistas no Brasil é de 45,2 anos e as mulheres são maioria entre os infectologistas (58,2%).

No Hospital Universitário de Jundiaí cabe ao infectologista acompanhar e dar suporte às equipes assistenciais nos casos de infecções para os quais é chamado a opinar e também atuar no programa de prevenção das infecções no ambiente hospitalar no uso racional de antimicrobianos e na prevenção e disseminação de microrganismos multirresistentes.

A infectologista e diretora clínica do HU, Márcia Borges Machado, tem 27 anos de profissão e desde 2012 está no HU. Segundo ela, a responsabilidade é grande para o infectologista. "Lidamos com situações novas e desconhecidas todos os dias. É um desafio constante, pois precisamos estar atualizados frente ao avanço do vírus e tentar acertar ao máximo", conclui.

A especialista reforça que desde o início da pandemia o trabalho dos infectologistas tem sido mais intenso devido a crescente demanda em relação a prevenção e às terapêuticas sugeridas. "Na medida em que o conhecimento científico avança, novas recomendações são definidas e novas medidas de proteção precisam ser adotadas".

A especialista, também professora na FMJ, sente uma alegria em poder contribuir aliviando as dores e formando novos profissionais que enxerguem a pessoa além de um caso a ser resolvido.

As principais doenças tratadas pelo especialista são dengue, chikungunya, influenza H1N1, febre amarela, entre outras.

O dia 11 de abril foi escolhido como o dia do infectologista por homenagear o renomado médico Emílio Ribas, atuante no campo das doenças infecciosas(Da Redação)

 


Notícias relevantes: