Jundiaí

AUJ registra 141 mortes por covid em uma semana

SAÚDE Casal morre após 15 dias de luta no hospital, mas filhos também ficaram internados com covid


Divulgação
Sheila e Aristeu Marquesim morreram com 40 minutos de diferença
Crédito: Divulgação

Em apenas uma semana, o que corresponde ao período de 5 a 12 de abril, as sete cidade do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) registraram 141 mortes causadas por covid-19. Desse número, 95 foram em Jundiaí, sendo 16 confirmados nesta segunda-feira (confira a atualização abaixo).

Entre as pessoas que não resistiram a doença está o casal fundador da adega Marquesim, Aristeu e Sheila Maria Marquesim, com 69 e 64 anos respectivamente. Eles morreram dia 5 de abril com apenas 40 minutos de diferença.

Um dos filhos do casal, Evandro Marquesim, conta que todos da família tiverem covid e que a notícia da morte dos pais deixou todos desolados. "Eu, minha irmã e nossos pais fomos internados no mesmo período por conta da covid. Minha esposa e cunhado também foram infectados, mas não precisaram ir para o hospital. Minha irmã teve alta um pouco antes. Eu estava internado quando meus pais faleceram. Não pude me despedir ou ir ao enterro, pois tive alta um dia depois do velório, somente na quarta-feira (dia 7)", relata.

O casal ficou 15 dias internados no hospital. "Meu pai ficou intubado por dois dias e apresentou melhora, o que causou as complicações foi um coágulo que surgiu e estourou. Minha mãe estava em estado crítico desde o começo, com complicações e intubada todos esses dias. Meu pai quase foi liberado clinicamente no sábado (3), antes da situação piorar. Foi algo que não conseguimos entender, pois um estava melhorando e o outro piorando, até que chegou uma hora que a situação deles se igualou e faleceram. Ele às 8h e ela 8h40. Minha melhora foi como um milagre. Achei que não sobreviveria", conta.

NA REGIÃO

Nas outras seis cidades do AUJ, 48 óbitos foram registrados no mesmo período, sendo 10 em Itupeva; 11 em Várzea Paulista e Louveira; 8 em Campo Limpo Paulista e Jarinu; e nenhum registro em Cabreúva.

LEITOS

Em Jundiaí, dos 103 leitos públicos de UTI destinado ao tratamento da covid, 95 estão ocupados, gerando uma taxa de ocupação de 87%. Já dos 169 leitos públicos de enfermaria, 75 seguem em uso, 43%.

Na rede privada de saúde há 79% de ocupação na UTI, com 111 de 140 leitos ocupados. Na enfermaria geral particular, há 67% de ocupação, com 225 de 336 leitos ocupados.

Várzea Paulista possui nove paciente internados em leitos clínicos de covid-19 e quatro pacientes aguardando vaga em leito UTI, no sistema CROSS.

Em Campo Limpo Paulista, dos 50 leitos de enfermaria exclusivos para covid, 46 estão ocupados. Uma taxa de ocupação de 92%. Dos 10 leitos de UTI, oito estão ocupados, gerando taxa de ocupação de 80%. Não temos fila de espera.

Jarinu possui um paciente aguardando transferência para leito enfermaria covid-19 em cidades referência da região. A cidade não conta com leitos covid-19, apenas leitos clínicos, não sendo possível considerar a taxa de ocupação como em cidades que dispõem de alas exclusivas coronavírus.

Em Cabreúva, quatro pessoas aguardam transferência para leitos de enfermaria. No total, seis pessoas ocupam leitos na cidade levando em conta a ocupação da Santa Casa e UPA, sendo 24 leitos no total. Isso gera uma taxa de ocupação de 25%.

Dos 18 leitos destinados ao tratamento da covid (10 UTI e oito enfermaria), nove, sendo sete na UIT, com taxa de 70% e dois enfermaria, 12%. Não há fila de espera.

Louveira não tem fila de espera por leitos de atendimento.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: