Jundiaí

Fase Vermelha estimula vendas com possibilidade de retirada

MOVIMENTO Podendo ao menos abrir as lojas para retiradas, os comerciantes veem como positiva a migração da Fase Emergencial para a Vermelha


JORNAL DE JUNDIAI
Pamela Costa diz que a clientela gosta de ver o produto antes de adquirir
Crédito: JORNAL DE JUNDIAI

Com o retorno para a Fase Vermelha do Plano SP, o comércio passou a ter maior flexibilidade para vender. Se antes os 'não essenciais' podiam comercializar os produtos apenas via delivery, agora a retirada no próprio estabelecimento é permitida.

Esta mudança exigiu adaptação para atrair os clientes, mas os lojistas acreditam em vendas mais efetivas. A gerente de uma loja de roupas masculinas, Suellen Machado, diz que o foco agora é atender o público da melhor forma possível. "A gente não trabalha com delivery. Trabalhamos com a porta aberta, por isso neste período em que não podíamos abrir, ficamos sem atender. Poder abrir a porta melhora as vendas pelo fato dos clientes saberem que a gente pode atender", afirma.

A vendedora de uma loja de acessórios e roupas, Pamela Costa, diz que poder ter a retirada melhora muito as vendas. "Hoje (ontem) foi o dia que mais vendi durante a Fase Vermelha."

Para ela, a visibilidade dos produtos já é um ponto positivo. "Poder pelo menos abrir a porta melhora a divulgação do produto. Acho que também não vai ter tanta devolução como antes, porque as pessoas conseguem ver o produto antes de levar. Vendi bem porque os clientes conseguiam ver o produto pessoalmente antes de comprar", acrescenta.

Para Verônica Luiza, que trabalha em uma loja de acessórios, a mudança de fase faz diferença. "Na Fase Emergencial, a gente não estava vendendo nada e não tivemos delivery. É bom os clientes testarem os produtos, conferirem como a capinha do celular fica no aparelho, testar o fone", diz ela sobre os acessórios de telefonia vendidos no local.

TABELA

Até para comércios essenciais, a mudança de fase foi encarada como positiva. Caixa e vendedora de uma ótica, Laura Silva diz que o movimento melhora quando o Centro tem mais gente. "Querendo ou não, a gente depende muito do Centro aberto. A pessoa vem fazer outra coisa, passa por aqui e aproveita para renovar a receita dos óculos", conta ela.

CATEGORIA

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomercio) e da Câmara de Dirigentes Lojistas de Jundiaí (CDL), Edison Maltoni, diz que a possibilidade da retirada atende a um pedido das entidades que preside, mas ainda não é suficiente. "Ainda faltam medidas amplas de amparo às empresas e à economia. As entidades têm atuado constantemente na defesa dos empregos e das empresas em várias frentes, como tributária e trabalhista, nas esferas federal, estadual e municipal."

Segundo o presidente da Associação Comercial e Empresarial (ACE) Jundiaí, Mark William Ormenese Monteiro, a migração de fase não foi o bastante. "Esta mudança da Fase Emergencial para Vermelha não trouxe alívio para o comerciante, mesmo ele podendo entregar os produtos na porta para o cliente. Estar na Fase Vermelha ainda é muito ruim e não resolve o problema do comerciante, que está sendo fortemente afetado pelas restrições."

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: