Jundiaí

Vacina da gripe é essencial durante a pandemia de covid

Aplicação é realizada nas UBSs, exceto as que estão funcionando como Unidades Sentinelas


Divulgação
Nathane de Oliveira Martins levou o filho para a vacinação da gripe
Crédito: Divulgação

Assim como em todo o estado, Jundiaí deu início nesta segunda-feira à Campanha Nacional de Imunização contra a Influenza com prioridade para os profissionais de Saúde que atuam na linha de frente dos hospitais, gestantes, puérperas e crianças entre seis meses e menores de seis anos.

A aplicação da vacina não precisa ser agendada e é realizada em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), com exceção das que estão funcionando como Unidades Sentinelas, para crianças e gestantes. Profissionais da Saúde receberão o imunizante nos hospitais onde trabalham.

Este cronograma é diferente do visto em anos anteriores, quando idosos foram os primeiros vacinados. Segundo a pediatra Maria José Mastellaro, a mudança se deve à concomitância da imunização contra a covid-19. "É preciso um intervalo de pelo menos 14 dias entre as vacinas da gripe e da covid. Como os idosos estão se vacinando agora contra a covid e essa é a vacina prioritária para eles, preferiram vacinar crianças e gestantes, assim dá tempo para a maioria dos idosos tomar a vacina da covid e ter o intervalo seguro entre um imunizante e outro", explica.

A médica diz que não há nada que comprove a interferência entre as vacinas na produção de anticorpos, mas o período de duas semanas entre uma vacina e outra é tomado como precaução. "É tudo novo nessa pandemia. É a primeira vez que tem a vacinação da gripe junto com a da covid, então não se sabe se a vacina da gripe atrapalha a produção de anticorpos contra o coronavírus, mas o intervalo tanto de uma vacina quanto da outra para a resposta imunológica do organismo é de 14 dias."

Ela explica que a vacina contra a gripe é essencial este ano. "É sempre importante, mas agora é mais ainda, porque, no início, os sintomas da gripe são semelhantes aos da covid e podem confundir. Se a pessoa pegar gripe e achar que está com covid, pode ir até o hospital e acabar se expondo sem necessidade ao coronavírus e isso também pode gerar sobrecarga no sistema de saúde", explica.

PREVENÇÃO

Levando o filho, Emerson, de 5 anos, para receber a vacina contra a gripe, Nathane de Oliveira Martins mantém a carteira de vacinação do menino sempre em dia. "Levo o Emerson para tomar todas as vacinas. É uma prevenção para que ele não adoeça. Não deixo faltar nenhuma dose", contou a mãe.

A campanha de vacinação foi dividida em três etapas. O próximo grupo a ser vacinado será formado por idosos e professores. Receberão o imunizante entre 11 de maio e oito de junho. Os demais grupos vão tomar a dose a partir de nove de junho.

(Nathália Sousa)

 


Notícias relevantes: