Jundiaí

Café se destaca pelo seu sabor, ato afetivo e cultural

DIA MUNDIAL A data comemorativa reforça a importância cultural e social que o produto brasileiro possui no cotidiano


ARQUIVO PESSOAL
Sophia Wolf Zaros sempre toma um bom café para começar o dia
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

A data de hoje marca o Dia Mundial do Café e para muitos brasileiros a bebida possui uma grande importância cultural e afetiva. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), o Brasil é o maior exportador entre o mercado mundial e ocupa a segunda posição, entre os países consumidores da bebida.

E não é para menos. O café brasileiro tem um história que começa em seu cultivo. Segundo a dona de cafeteria no Anhangabaú, Laiana Teixeira Porto Brito, o diferencial do café brasileiro é o histórico de produção e consumo. "Temos muitos produtores e estudiosos da área do café. Muita gente fazendo coisa boa e cuidando de nossa terra para ter safras de qualidade. Além disso, o café está muito ligado à questão afetiva do brasileiro, quer dizer, servir um café para quem chega dentro de sua casa é um ato afetivo e tradicional. É um mimo, um carinho nosso para a visita. Igual quando chegamos na casa da vó e sempre tem um cafezinho, é confortante", afirma.

Laiana utiliza grãos de ótima qualidade em sua cafeteria e por conta da pandemia, começou a vender o café em pó. "Eu trabalho com um único tipo de café, que trago da Chapada Diamantina na Bahia. Fazemos um café de torra média, que é mais voltado para o conceito 'casa de vó' e só trabalhamos com café coado. Apesar de alguns clientes preferirem comprar os grãos para moer em casa", conta.

A estudante Sophia Wolf Zaros começou a tomar café com 18 anos e desde então, consome todos os dias. "É bom para dar uma acordada e dar ânimo para fazer as coisas do dia. O café é importante para mim, principalmente a tarde porque é o momento que estou com meus pais e se torna um momento de partilha, como se fosse um horário sagrado da família. Nós comemos e conversamos sobre o dia", comenta.

Sophia prepara seu café em uma cafeteira, mas afirma que o mais saboroso é o feito do modo tradicional. "Toda vez que tenho algo para fazer, eu passo um café novo. Encho a xícara e só então começo meus afazeres", conta.

DESTAQUE

Conforme dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a cafeicultura brasileira é uma das mais exigentes do mundo em relação às questões sociais e ambientais.

O empresário Luis Felippe Polonio, dono de uma torrefação em Itupeva, diz que o café brasileiro se destaca mundialmente, pois as pessoas procuram por experiências e sabores novos. "O café brasileiro é doce e encorpado e junto com a produção dos grãos especiais, nós descobrimos uma possibilidade imensa de sabores. Assim, nós podemos oferecer diversos tipos de grãos, enquanto as pessoas vão explorando novos métodos de preparo e aproveitado do advento da micro-torrefação", comenta.

Para assegurar uma boa qualidade do café, Polonio orienta comprar o produto mais fresco possível. "É bom consumi-lo o mais próximo da data da torra e se possível, comprar em grãos e moer na hora do preparo", afirma.

DICAS

Laiana conta algumas dicas para melhorar a qualidade do café caseiro. “Para garantir um sabor de qualidade em casa, a escolha do grão é importante. Se puder, compre o café de pequenos produtores, pois é um produto orgânico e mais puro, sem nenhum tipo de mistura. A conservação dele também é muito importante, guardar em potes de vidro, por exemplo, ajuda a não perder qualidade. E se conseguir comprar o grão para moer na hora do consumo, sentirá um sabor mais fresco”, conta.

Luis também oferece outras dicas. "Eu aconselho as pessoas a passar uma água nos filtros (pano ou papel) para retirar qualquer resquício de sabor e aquecer o recipiente que vai receber o café, com água quente. E em termos de porcentagem, uma receita boa são 20 gramas de café para 250ml de água. Você vai colocando a água aos pouquinhos, geralmente em duas partes, a primeira para hidratar o pó e depois de uns 20 segundos coloca a segunda parte para começar a extrair os sólidos solúveis desse pó. Já para os dias de calor, recomendo o "Iced Coffee” (Café Gelado), no qual você coa o café em pedras de gelo ou pode adicionar o gelo depois para resfriar rapidamente a bebida. E misturar com mel ou limão pode dar um toque mais saboroso nessa bebida refrescante”, afirma.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: