Jundiaí

Prestes a completar mil mortes, covid matou mais homens

Das 999 mortes confirmadas em Jundiaí, 584 eram homens e 415 eram mulheres


Divulgação
Dos 999 óbitos, 584 eram homens e 415 mulheres entre 15 e 109 anos
Crédito: Divulgação

Das 999 mortes em decorrência da covid-19 confirmadas em Jundiaí, 584 eram homens com idades entre 15 e 109 anos, o que significa 17% em relação às mulheres que são 415, com idades entre 20 e 109 anos.

Os dados, relacionados no boletim epidemiológico, mostram que a taxa de mortalidade em mulheres é maior até os 39 anos e após os 90, enquanto os homens apresentam maior taxa de letalidade dos 40 aos 89 anos.

Jundiaí tem 2.86% de taxa de letalidade por covid-19, ficando abaixo da taxa estadual que é 3.22% e da região de Campinas que 3%. O levantamento realizado também aponta Jundiaí com a menor taxa de letalidade, se comparada a cidades como Mauá (5,60%), Osasco (5,25), Mogi das Cruzes (4,75%), Campinas (3,83%), São Paulo (3,21%) e Sorocaba (3,19%), de porte semelhante ou maiores.

Segundo o gestor de Promoção da Saúde, Tiago Texera, mesmo vivenciando o período classificado como o de estabilização no número de novos casos suspeitos, consequentemente de letalidade é fundamental não relaxar nas medidas de segurança. "Registramos um número expressivo de mortes durante essa segunda onda. A média móvel de óbitos é de 11 casos por dia, maior número em relação a pandemia, sendo resultado da última quinzena de março, quando houve o crescimento acelerado da doença em Jundiaí. Contudo, observando cidades de mesmo porte, nosso índice de letalidade por covid-19 foi menor", relata.

DADOS

Dos 999 óbitos, a taxa de mortalidade em mulheres é maior até os 39 anos. Um homem tinha de 15 a 19 anos, três homens e quatro mulheres de 20 a 29 e 12 homens e 16 mulheres de 30 a 39 anos. Na faixa etária dos 40 aos 89 anos, o número de mortes em pessoas do sexo masculino praticamente dobra.

Foram 46 homens e 24 mulheres de 40 a 49 anos, 79 homens e 62 mulheres de 50 a 59 anos, 145 homens e 98 mulheres de 60 a 69 anos, 160 homens e 115 mulheres de 70 a 79 anos e 112 homens e 60 mulheres entre 80 a 89 anos.

Após os 90, o número inverte novamente e as mulheres são as maiores vítimas, sendo 25 homens e 33 mulheres dos 90 aos 99 anos e um homem e três mulheres maiores de 100 anos.

Em relação às comorbidades, a doença cardiovascular crônica foi a mais registrada, com 823 pacientes possuíam a doença. Logo em seguida, 480 pacientes com diabetes perderam a vida para a covid e em terceiro lugar, 218 com obesidade. Vale ressaltar que o mesmo paciente podia ter mais de uma comorbidade.

ATUALIZAÇÃO

De acordo com o boletim divulgado pela Prefeitura de Jundiaí nesta terça (20), após 72 dias, nenhuma morte por covid foi confirmada. Ainda segundo o boletim, 170 novos casos foram confirmados. Até o momento, a cidade registra 35.096 casos confirmados, 658 casos ativos, 33.439 recuperados e 81.466 vacinados desde o início da
pandemia.(Mariana Checoni)

 


Notícias relevantes: