Jundiaí

Jovens trocam carteira assinada por trabalho como autônomos

Houve um aumento de 25,5% no número de profissionais registrados como microempreendedores individuais (MEI) de 2020 para 2021


                 ALEXANDRE MARTINS
Leandro Marques é investidor e está de olho nas criptomoeadas
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

O perfil do trabalhador mudou ao longo dos anos. Se antes o foco era a tão sonhada "carteira assinada", modo popular de se referir ao emprego registrado em regime celetista (CLT - Consolidação das Leis Trabalhistas), agora as pessoas estão deixando os empregos formais e se aventurando como autônomos. De acordo com a Unidade de Gestão de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, da Prefeitura de Jundiaí, houve um aumento de 25,5% no número de profissionais registrados como microempreendedores individuais (MEI) de 2020 para 2021.

A jovem Nayara Antunes, 22 anos, é uma dessas pessoas que deixou para trás a carteira assinada e abraçou a prestação de serviços. Em novembro do ano passado, ela pediu demissão da empresa onde trabalhava na área de produção e fez um curso de design de sobrancelhas. "Eu trabalhava por turno, então tinha dias que trabalhava à noite, tinha dias que trabalhava 12h. Não tinha tempo para nada", conta.

Além disso, ela se forma em menos de um ano em fisioterapia e sentia que era hora de fazer um estágio na área. "Eu pedi demissão em novembro, fiz o curso de design de sobrancelhas em dezembro e janeiro e em fevereiro comecei no estágio. Hoje estagio à tarde em uma clínica e pela manhã atendo minhas clientes de design."

O gestor de Desenvolvimento e Tecnologia de Jundiaí, Cristiano Lopes, enxerga a MEI como o tema do momento. "É uma alternativa de vida e tem crescido muito no último ano."

MERCADO DO FUTURO

Leandro Marques, 19 anos, também saiu de um emprego em uma transportadora para "trabalhar por conta própria". No entanto, em vez de serviços ele resolveu abraçar o mundo dos investimentos. "Minha principal ocupação é o day trade", conta. É com o day trade, comprando e vendendo ações quase que com uma diferença de segundos, que ele faz sua renda pessoal. Além disso, também oferece consultoria de investimentos.

Atualmente, ele está investindo no "mercado do futuro" comprando criptomoedas com o objetivo de rentabilizar os investimentos. "Consegui pegar uma valorização de 500% da Dogecoin, que é uma criptomoeada mais nova que o Bitcoin."

Leandro explica que há quem faça dinheiro só mineirando Bitcoins, com um equipamento específico para isso. "Eu vejo o Bitcoin e as criptomoeadas em geral como as moedas do futuro pela facilidade. Você pode pagar e receber usando elas em questão de segundos, é quase como fazer um Pix."

INFORMALIDADE

Foram 6.071 CNPJs novos abertos entre março de 2020 e março de 2021, sendo quase 53% de MEIs. Embora as 3,2 mil novas MEIs registradas no Balcão do Empreendedor de Jundiaí já pareçam um número elevado, na realidade o número de microempreendedores individuais é muito maior.

Segundo o portal do empreendedor houve 5.922 MEIs registradas em Jundiaí no período acima. O gestor de Desenvolvimento e Tecnologia, Cristiano Lopes, explica que hoje 70% desses empreendedores têm apenas o cadastro no Portal do Empreendedor do governo federal, mas não fizeram o registro na prefeitura.

FACILIDADES

Para Lopes, a falta de registro local pode ser uma questão de dificuldade de acesso à informação. É por isso que a pasta elaborou um novo site, que deve ir ao ar neste mês de maio. "É uma plataforma digital que acolhe quem quer empreender na cidade. Tudo ficará acessível no mesmo lugar, com passo-a-passo, vídeos explicativos e cursos para auxiliar o empreendedor."

O gestor explica que uma das principais preocupações é o fato de que os empreendedores acabam fechando a empresa em apenas dois anos. "Isso acontece porque eles fazem o curso da área do serviço que querem ofertar, mas esquecem de se especializar como empresário também. Precisa fazer planejamento, cuidar das finanças."

Dentro da nova plataforma também haverá cursos que ensinam desde a criar um plano de negócios, até a fazer o faturamento da empresa.

(Carina Reis)

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: