Jundiaí

Confraternizações de Dia das Mães exigem atenção

Vontade de reunir a família e festejar é grande, mas é importante saber os riscos


        ALEXANDRE MARTINS
Saulo Duarte Passos reafirma a necessidades de cuidados no momento
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Com o Dia das Mães se aproximando, a vontade de reunir a família e confraternizar é grande, mas é importante saber os riscos desses encontros. O mais importante agora é garantir a saúde de toda a família.

O infectologista e pediatra Saulo Duarte Passos relembra que, apesar da saudade, é interessante confraternizar cada um na sua casa. "O melhor é ficar em casa para se proteger da covid, fazer reuniões virtuais ou visitar a casa da mãe em outro momento. Entendo a vontade que todos têm de dar um grande abraço nas mães, mas o ideal é deixar as festas de família para os próximos anos. Este ano só valem os corações feitos com as mãos, em fotos ou vídeos", diz.

Se a visita for feita mesmo assim, existem dicas para minimizar os riscos e a principal as duas doses da vacina porque isto pode melhorar, mas os cuidados devem continuar, em especial de higienização.

"É importante lavar bem as mãos antes de sair e fazer uso do álcool em gel, mas quando chegar na casa de sua mãe, faça a higienização novamente. Evite tocar os olhos, nariz e boca com as mãos sujas e sempre cubra tosse e espirros com um lenço ou com a parte interna do cotovelo. Continue lavando bem as mãos depois", orienta o infectologista.

PROTEÇÃO

Durante a viagem até a casa de sua mãe, deve-se manter pelo menos dois metros de distância dos desconhecidos na rua, sempre usando a máscara corretamente, cobrindo o nariz e a boca. "É importante manter o distanciamento durante o caminho e depois com a própria mãe. Não devem comer todos juntos na mesa, nem falando ou cantando, pois é a hora do perigo de transmissão", explica.

Segundo o infectologista, as pessoas são consideradas totalmente vacinadas com mais ou menos duas semanas após a segunda dose da vacina contra a covid, mas evitar o contato e as aglomerações é muito importante", diz o infectologista.

Além dos cuidados, é preciso estar atento ao número de pessoas presentes no encontro. "Podem ser no máximo dez pessoas, com todos os cuidados. É bom lembrar de deixar todas as janelas abertas e ventiladores ligados no sentido de saída de ar pela janela, sem ar condicionado. Se houver algum sintoma diferente, mesmo que pareça um simples resfriado ou rinite, fique em casa e não visite ninguém", orienta.

Mesmo sem sintomas, as pessoas podem ter sido expostos ao vírus e espalhá-lo. "É interessante se isolar, fazer um automonitoramento para sintomas da covid e fazer o teste se eles se manifestarem. Claro, se você estiver totalmente vacinado ou tiver se recuperado da covid nos últimos três meses, não precisa fazer o teste, mas deve permanecer atento e se cuidando", explica.

(Giovana Viveiros)

 


Notícias relevantes: