Jundiaí

Monitoramento de dengue se intensifica na cidade

Busca ativa mantém monitoramento às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti


divulgação
Dengue
Crédito: divulgação

A partir de pesquisa de campo, conversa com a população e a pesquisa sobre possíveis sintomas identificados entre os moradores de uma região é que os agentes de zoonoses rastreiam novos casos de arboviroses. As ações são desencadeadas na sequência de confirmações de casos de dengue, zika, chikungunya ou febre amarela. Essa prática possibilita a constaçao de qualquer indício da elevação do número de casos e diagnóstico da situação epidemiológica. Em Jundiaí, a dengue está em circulação com os mosquitos Aedes aegytpi. Por isso, manter a residência livre de recipientes e objetos que possam acumular água é medida essencial para conter a disseminação da doença. com locais que possam servir de criadouros.

De acordo com a biomédica da Vigilância em Saúde Ambiental (VISAM), – órgão da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) da Prefeitura de Jundiaí -, Ana Lúcia de Castro, a busca ativa faz parte das ações do setor para o enfrentamento das arboviroses. “A cada estágio da ocorrência de arboviroses, são desencadeadas ações diferentes, com focos na prevenção à saúde da coletividade. A busca ativa é iniciada a partir da positividade do caso da doença e ocorre em raio no entorno da residência da pessoa positiva, conversando com as pessoas em busca de mais possíveis casos que não tenham acionado os serviços de Saúde. Assim promovemos a identificação de novos casos e desencadeamos ações de bloqueio”, detalha, lembrando que é essencial a busca pelo atendimento da Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próximo assim que identificados os sintomas (febre, dor do corpo e nas articulações, manchas vermelhas e perda de apetite).

 


Notícias relevantes: