Jundiaí

COLUNA DO MARTINELLI: Hoje é o Dia dos Garis

Profissionais que executam um trabalho sério e necessário


Reprodução/Internet
JOÃO CARLOS JOSÉ MARTINELLI
Crédito: Reprodução/Internet

Festejamos hoje o DIA DO GARI, enfocando um trabalhador dedicado e que cuida da limpeza pública, recolhendo o lixo das moradias, além de varrer as ruas e muitas vezes também cuidar da capina da grama.Um ofício de extrema importância à coletividade e cujo nome profissional se originou de uma homenagem ao francês Pedro Aleixo Gary, primeira pessoa a assinar um contrato de Limpeza Pública com o Ministério Imperial no Rio de Janeiro.Os cariocas no tempo do Império, acostumados com o limpamento das ruas após a passagem dos cavalos, mandavam chamar a turma do Gary. Aos poucos o nome se generalizou e até hoje são chamados garis.

Essa celebração ainda não é objeto de uma legislação federal, mas é lembrada em centenas de municípios brasileiros e em alguns estados no qual é oficial por normas próprias, embora exista na Câmara Federal projetos para ampliá-lo em âmbito nacional. Assim, prestamos uma justa homenagem aos milhares de trabalhadores que apesar serem tão comuns nas áreas urbanas, passam muitas vezes despercebidos, sofrem preconceitos, indiferenças e até humilhações, apesar de tão necessários.

Nessa trilha, citamos que na conclusão de sua tese de mestrado, o psicólogo social Fernando Braga da Costa, varreu as vias da USP, a fim de comprovar a existência da “Invisibilidade Pública”, ou seja, o trabalhador de rua nada mais é que um ser invisível, tratado pela população menos que um poste ou um orelhão. Foram oito anos de experiência diária, por meio turno, compartilhando sujeira, desprezo, descaso dos transeuntes, tratado como uma máquina invisível de limpar.

Às vezes por pressa, falta de sensibilidade ou educação, deixamos de enxergar e valorizar essas pessoas que fazem um trabalho essencial para nossa sociedade, desempenhando um serviço duro todos os dias com muito empenho para deixar nossa cidade mais primorosa e bonita. Devemos parabenizá-los pela comemoração dessa segunda-feira e nunca deixarmos de respeitar os garis como seres humanos profundamente comprometidos com uma tarefa séria, relevante e extremamente necessária.

RESPEITO ÀS DIFERENÇAS

A 17 de maio se comemora o Dia Internacional de Combate à Homofobia, criado para alertar que o Direito e a sociedade em geral não podem discriminar, nem relegar à marginalidade, por falta de acolhimento, um ser humano em função de seus atributos pessoais. Está mais do que na hora de concebermos que a cidadania plena só se faz com respeito às diferenças e que efetivamente, reitere-se, o preconceito é filho da ignorância e irmão da má-fé.

SANTO IVO, PATRONO DOS ADVOGADOS

Celebra-se a 19 de maio o DIA DE SANTO IVO, que faleceu nesta data, a mesma em que também foi canonizado em 1390. Nascido na Bretanha América em 1253, pertencente à alta pobreza da França, ele foi advogado, juiz e sacerdote da ordem franciscana. Durante toda a sua vida, lutou pelos direitos dos pobres, principalmente contra os senhores feudais e demais poderosos da época, tendo como magistrado, criado a isenção de custas para os necessitados, razão pela qual é indicado como o criador da JUSTIÇA GRATUITA.

JOÃO CARLOS JOSÉ MARTINELLI é advogado, jornalista, escritor e professor da Faculdade de Direito do Centro Universitário Padre Anchieta de Jundiaí. Ex-presidente das Academias Jundiaienses de Letras e de Letras Jurídicas ([email protected])


Notícias relevantes: