Jundiaí

Novas galerias são implantadas em diferentes regiões


DIVULGAÇÃO
As obras ajudam na drenagem da águas pelas ruas e avenidas
Crédito: DIVULGAÇÃO

Vias públicas que antes apresentavam problemas com acúmulo de água em período de chuvas estão recebendo a implantação de galerias pela Prefeitura de Jundiaí, por meio da Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos (UGISP). O objetivo é promover mais qualidade de vida para as pessoas que vivem, trabalham ou se deslocam por essas localidades.

"A implantação das galerias melhorarão e muito o escoamento da água", diz o prefeito Luiz Fernando Machado.

Como explica o gestor da UGISP, Adilson Rosa, as obras de galerias são necessárias, feitas estrategicamente nessa época de estiagem, quando as chuvas diminuem. "Com essas obras, alguns pontos da cidade passam a ter mais capacidade para a drenagem da água, evitando qualquer tipo de alagamento e outros problemas ao longo de vias públicas", declara.

Um dos pontos onde as obras de drenagem começaram é o trecho entre a rua do Retiro e o Córrego do Mato, na avenida 9 de Julho, passando pela rua Dr. Edson Zardetto de Toledo. São 830 metros de galeria, com a implantação de 25 caixas de captação (bocas de lobo) e a utilização de tubos com 2,5 metros de comprimento, 1,20 metro de diâmetro e quase quatro toneladas cada. "Essa é uma obra complexa, mas que vai mudar e muito a vida de quem vive ali ou tem comércio nessa região, e que sofria com o volume de água que descia da rua do Retiro até a 9 de julho", explica o diretor do Departamento de Obras Públicas, Carlos de Souza.

A obra teve início no último dia 26 e tem previsão de execução de 120 dias para suas duas fases - a primeira compreende a instalação das galerias entre a 9 de Julho e a rua Dr. Edson Zardetto de Toledo, e a segunda, da mesma rua até a rua do Retiro.

RIO JUNDIAÍ-MIRIM

Ao longo de 8 quilômetros do rio Jundiaí-Mirim, a UGISP está fazendo quatro intervenções para melhorar a vazão da água, evitando seu transbordamento em períodos de cheia, na época de chuvas. Os locais - nos cruzamentos do rio com as ruas Waldemar Gobi, Miguel Munhos, Alexandre Milani e Alexandre Fontebasso - estão recebendo três linhas de aduelas de concreto com três metros de largura por três de altura cada aduela, com 27 metros de vão livre para a passagem da água em cada ponto. O córrego Nova Odessa (cruzamento com a rua Miguel Fontebasso), na Roseira, também recebe obras de galeria. Pontes de madeira antes utilizadas pela população serão substituídas por pontes de concreto sobre as aduelas.

Na última terça-feira, Adilson Rosa, acompanhado de sua equipe, fez uma visita ao local das obras na Roseira e pôde conferir de perto seu andamento. Também no bairro ocorre outra importante intervenção com drenagem, na avenida João Batista Spiandorello, ao lado da avenida Humberto Cereser, com a colocação de 150 metros de galerias que levam a água da chuva até o rio Jundiaí-Mirim.

"A Humberto Cereser também receberá intervenções, com obras que beneficiarão a mobilidade urbana. Na altura da Roseira, serão feitas mais duas faixas para o deslocamento de veículos, chegando ao total de quatro. É uma via em que trafegam muitos veículos, inclusive aos finais de semana."

Estão previstas outras obras na mesma avenida, mas na altura do bairro Caxambu, com a reorganização do trânsito e a construção de uma rotatória.

(Da Redação)


Notícias relevantes: