Jundiaí

Operação Estiagem: confira as principais causas de queimadas e os canais de denúncias


DIVULGAÇÃO
O importante é acionar o Corpo de Bombeiros para o combate ao foco
Crédito: DIVULGAÇÃO

Com vigência até 30 de setembro, o Plano Municipal de Contingência de Estiagem estipula as diretrizes e procedimentos de diversos órgãos da Prefeitura e externos para apoiar, quando necessário, as ações do Corpo de Bombeiros e da Divisão Florestal da Guarda Municipal. Devido a condições como ventos, temperatura e baixa umidade relativa do ar (URA), o período possui grande incidência de queimadas e, tão importante quanto o papel da sociedade na prevenção está também a realização de denúncias pelos canais oficiais.

Segundo o diretor do Departamento de Meio Ambiente da Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente (UGPUMA), Wagner de Paiva, as queimadas em terrenos vazios sem roçada são as principais vilãs deste período. “Infelizmente ainda há pessoas que utilizam o fogo para limpar o mato de terrenos ou até acumulam entulho, sendo que Jundiaí possui um serviço eficiente de coletas”.

De acordo com Wagner, em 2020, o Corpo de Bombeiros combateu mais de 600 focos de incêndio na cidade e a UGPUMA vistoriou mais de 650 denúncias de queimadas via 156. No total, 50 propriedades foram multadas por negligência nos cuidados com a propriedade, ocasionando as queimadas. A lei municipal 8.858/17, chamada Lei de Queimadas, prevê multas de R$ 720 ao proprietário.

O Sargento Vedovelli do Corpo de Bombeiros faz também um importante alerta. “Não podemos nos esquecer de que ainda estamos em uma pandemia. Quem procurar auxílio hospitalar por conta de problemas respiratórios em decorrência de fumaça de queimada, além de se expor ao vírus aumenta a demanda de serviços de saúde”.

Apesar de exceções, queimadas na Serra do Japi também são identificadas no período. “Incidências com balões ou limpezas de terreno com fogo são as principais causas de queimadas na serra”, explica Wagner. Diferente do Cerrado ou no semiárido, Jundiaí não apresenta as condições climáticas para queimadas espontâneas.

O coordenador da Defesa Civil, o coronel João Osório Gimenez Germano, explica os canais para acionamento e denúncias. “O acionamento para combate ao incêndio deve ser sempre direcionado pelo telefone 193 do Corpo de Bombeiros. A Prefeitura disponibiliza ainda dois canais para denúncias da população. Um deles é telefone 156 e o outro é o Aplicativo Jundiaí, através do qual além de identificar o endereço, é possível enviar uma foto e até mesmo a geolocalização do local. Esses canais não excluem a necessidade do acionamento aos Bombeiros, mas permitem que a população comunique as irregularidade em terrenos, principalmente com mato alto e entulhos, e casos de reincidência de queimada para notificação por parte da Prefeitura.”

Plano de Contingência

Instituído pelo decreto municipal nº 29.635/2021, o Plano Municipal é coordenado pela Defesa Civil do Município e composto por diversas Unidades de Gestão da Prefeitura, além de órgãos externos, como a DAE, a Fundação Antônio Antonieta Cintra Gordinho, a Mata Ciliar, o Aeroporto Estadual Comandante Rolim Adolfo Amaro e a Rede Integrada de Emergência (Rinem), de que fazem parte as brigadas de emergência de empresas da cidade.


Notícias relevantes: