Jundiaí

Estudante é premiada nos EUA por criar protótipo para análise

A jovem Rafaela Curcio apresentou dispositivo autônomo para fazer análise de água


ALEXANDRE MARTINS
Rafaela Curcio projetou a estação de tratamento de água portátil e foi premiada nos EUA
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Cinco projetos científicos do Brasil se destacaram na Regeneron ISEF 2021, a maior feira internacional de ciências e engenharia, dos EUA, entre eles, da jundiaiense Rafaela Curcio, de 18 anos, na categoria Engenharia Ambiental.

A estudante do Etec Best Benedito Storani ganhou US$ 1 mil com o projeto 'Análise de Água Automatizada: Desenvolvimento de um Drone à Base de Microcontroladores'.

"Quando descobri que era finalista na Regeneron fiquei preocupada porque não sabia nada de inglês, mas fiquei muito feliz porque a melhor conquista foi inspirar outros jovens da minha comunidade a seguirem a ciência. Estou preparando melhorias para o protótipo porque quero impactar a vida destes jovens, inclusive muitos estudantes têm me procurado para pedir dicas em trabalhos científicos. Meu objetivo é incentivá-los", diz.

Rafaela criou um drone, uma esfera de isopor com 500 milímetros de diâmetro e motores que fazem o processo de bombeamento de água. "O processo é controlado por um microcontrolador, a parte eletrônica do protótipo", diz.

De acordo com a jovem, o projeto pode ser inserido em rios, lagos e corpos hídricos em geral. "A ideia é que o protótipo seja autônomo, para substituir o trabalho de um técnico que faz análise da água, pois muitos locais oferecem risco à saúde desses profissionais", afirma.

INCENTIVO

No total foram apresentados e avaliados 1.480 projetos em 21 categorias. Os quatro primeiros colocados de cada categoria receberam de US$ 3 mil a a US$ 500. Os estudantes foram julgados com base nos critérios de rigor científico, competência e clareza demonstrada no desenvolvimento dos projetos, capacidade criativa e pensamento científico.

O projeto de Rafaela já havia sido premiado na categoria Engenharia da 19ª Feira Brasileira de Ciência e Engenharia (Febrace), em março deste ano. A estudante do curso técnico de Química da Escola Técnica Estadual (Etec) Benedito Storani, sob orientação dos professores José Roberto Cunha Jr. e Ricardo Murilo de Paula, apresentou um protótipo para análise da água.

"O dispositivo mede temperatura e pH, e a ideia é medir também o oxigênio dissolvido e a condutibilidade elétrica da água. A ideia surgiu em 2019, com a proposta de montar um projeto relacionado ao meio ambiente, com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Me baseei no sexto objetivo, sobre água potável e saneamento básico. Assim, surgiu a ideia de analisar a água com um dispositivo autônomo", explica Rafaela.

Para ajudar o meio ambiente, a ideia é que o projeto seja feito em larga escala. "Eu gostaria que ele fosse produzido em larga escala, voltado para uma visão econômica, dependendo da demanda, pois ele é muito útil para o meio ambiente e pode ser usado no mundo inteiro", revela a jovem.

 


Notícias relevantes: