Jundiaí

Chuva com granizo resulta em desabrigados e prejuízos materiais

FENÔMENO Mesmo rápida, a chuva, os fortes ventos e o granizo deixaram um rastro de prejuízos em residências, comércios e em plantações


DIVULGAÇÃO
No Jardim Samambaia, granizo tomou as ruas na tarde de domingo, com danos em toda a cidade
Crédito: DIVULGAÇÃO

Os danos causados pela chuva intensa do último domingo (30) começaram a ser contabilizados nesta segunda-feira (31) em Jundiaí. Segundo a Defesa Civil do município, seis pessoas ficaram desabrigadas e foram acolhidas por parentes ou vizinhos, mas foram dezenas de ocorrências de queda de árvores, além de vidros e toldos perfurados ou quebrados pela queda de granizo.

Após a chuva, as equipes da Defesa Civil atuaram na avaliação de estruturas e no fornecimento de lonas para a cobertura de móveis e telhados.

Segundo o Climatempo, site especializado em previsão do tempo, a tempestade foi gerada por causa do choque térmico entre a atmosfera de São Paulo, que estava quente, e a chegada de uma frente fria.

PANORAMA

De modo geral, todos os bairros de Jundiaí e alguns da região foram atingidos por chuva, vento e granizo. Os bairros com mais ocorrências de danos materiais foram a Vila Alvorada, Jardim Guanabara, Chácara Aeroporto, Recanto Quarto Centenário e Eloy Chaves, principalmente em residências com coberturas mais antigas, de telhas de fibrocimento, ou em telhados de barro, em que o volume de gelo barrou a fluidez da água, resultando em infiltrações.

Em alguns lugares janelas de vidro também foram quebradas e toldos de lona rasgados pelas pedras de gelo.

A Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS) forneceu cestas básicas, colchões e produtos de higiene e limpeza a oito famílias. Equipes da Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos (UGISP) atuaram em 12 ocorrências de remoção de árvores, galhos e vegetação caídos em vias públicas, além da limpeza de bueiros e galerias que apresentam ou podem vir a apresentar entupimento por causa da mesma vegetação que fica parada em seus interiores.

PREJUÍZOS

A moradora do condomínio Reserva do Japi, no bairro Recanto IV Centenário, Valéria Cerasa, teve o teto e o capô do carro amassados pelo granizo. "Todos os carros do meu bloco, com vaga descoberta, foram danificados. Teve carro que quebrou a calha da janela e outro quebrou o vidro traseiro. Quando vi que começou a chover granizo, tinha um carro embaixo do meu prédio e dava para ver as pedras amassando o teto", relata.

Bruna Vilafranca, moradora do Jardim Gramadão, relata estragos no jardim e rompimento de cabos. "Aqui, graças a Deus, não estragou muita coisa. Estragou o jardim, escapou uma peça que prende a coifa e amassou carros que estavam na rua. Meu marido ainda não subiu no telhado porque estava molhado, mas a gente tem placa de energia solar e de alguns vizinhos que também têm estourou tudo."

LAVOURAS

Além dos prejuízos causados na área urbana, agricultores sentiram a força da natureza e relataram seus prejuízos.

A moradora do Medeiros, Maria Teresa Staeli, que tem uma horta orgânica, relata a perda dos legumes e verduras. "Tive muitos danos, estragou a horta inteira. O granizo rasgou e amassou as folhas. Foi muito forte e eram pedras grandes. Fica o prejuízo mesmo, não esperava em pleno maio uma chuva assim, acho que é histórico", diz ela sobre as culturas estragadas que precisarão ser arrancadas para o plantio de novas.

Proprietário de uma lavoura de pitaya, também no Medeiros, Valdir Aparecido Berlofa, lamenta a perda da própria safra será afetada. "Foram quebrados praticamente todos os brotos, que geram os frutos. Acredito que isso afete a colheita do próximo ano. Como a lavoura é grande, não tinha como fazer nada. Agora vou atrás de um seguro para a produção para ter mais segurança no próximo ano.

Segundo a Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo (UGAAT), ainda é feito levantamento com os produtores rurais, mas já há registros de danos em produções nos bairros Ivoturucaia, Medeiros e Malota.

Ainda de acordo com o Climatempo, com a entrada de ar polar, que veio com a frente fria, as condições térmicas ficaram propícias para a formação do granizo.

As nuvens cumulonimbus, que se formaram sobre o leste do estado, alcançaram grande extensão vertical, atingindo regiões muito frias da atmosfera, com temperaturas abaixo de 0°C, onde se formam as pedras de gelo.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: