Jundiaí

Bandeira vermelha preocupa consumidores

CONTA DE LUZ Tarifa de energia terá acréscimo de R$ 0,06243 para cada kWh consumido


ARQUIVO PESSOAL
Fernando Alves de Almeida realiza algumas estratégias para economizar
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

O aumento das contas de luz já é uma preocupação rotineira para moradores e comerciantes de Jundiaí, principalmente após mais de um ano de pandemia. E, a partir desse mês, a situação deve piorar.

Esta semana, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou a mudança da bandeira tarifária para "vermelha, patamar 2". Com isso, a tarifa vai sofrer acréscimo de R$ 0,06243 para cada quilowatt-hora kWh consumido, ou cerca de R$ 6 a cada 100 Kwh, já nas contas do mês que vem.

Proprietário de uma lavanderia na Rua do Retiro, José Silvestre conta que percebeu o aumento nas contas de luz deste ano. "Não consigo mensurar, pois a produção diminuiu bastante por causa da pandemia. Mas com a queda da venda de serviços, teoricamente, a conta de luz teria de baixar e não foi isso que ocorreu. No fim, a queda de produção e o aumento das contas de energia acabou não mudando em nada, e continua me preocupando", diz Silvestre.

Segundo ele, a margem de lucro de sua empresa diminuiu devido o aumento dos custos. "Para cobrir esse aumento, deveríamos aumentar nossa produção e também não é o que está acontecendo. Com isso, o ideal seria reajustar os valores cobrados aos clientes, mas como as vendas estão em baixa, o aumento do preço pode afastá-los", comenta.

Preocupado com as novas tarifas da bandeira vermelha, Silvestre diz que vai ficar mais atento ao comportamento das próximas vendas para, em último caso, aumentar seus valores. "Há uma grande parcela da população desempregada ou com o salário reduzido e isso afeta a procura por serviços. Como o cidadão comum está tendo muitos gastos com compras de alimentos, por exemplo, acaba não sobrando muito dinheiro no final do mês e ele prefere optar por realizar alguns serviços em suas casas, como lavar uma coberta mais grossa ou uma camisa", conta.

TRANSTORNOS

O engenheiro civil Fernando Alves de Almeida conta que percebeu os reajustes nas contas de luz durante a pandemia, principalmente pelo fato de passar mais tempo em casa e fazendo home office.

"O aumento tem gerado alguns transtornos financeiros e, por morarmos em uma zona rural, não é todo mês que a empresa vem fazer medição. Percebi que os valores mensais estavam muito desequilibrados, tinha mês que vinha baixo e mês que vinha muito alto e, assim, ficava difícil quantificar o quanto eu estava consumindo de fato", conta o engenheiro. "A partir de então, comecei a realizar a auto-leitura por meio de um aplicativo, pego os valores no poste e encaminho para a CPFL."

Depois de notar o aumento do consumo, Almeida investiu em placas solares. "Eu já tinha quatro placas, mas depois do aumento, investi em mais duas no meio da pandemia. Com isso, houve uma grande diferença nas contas, já consegui economizar cerca de R$ 4 mil desde que coloquei as primeiras placas, há dois anos. Tive uma redução de cerca de 50% no consumo mensal", afirma.

Mesmo com a instalação das placas solares, Almeida continua se preocupando com o consumo em sua casa. "Adotamos algumas estratégias para continuar economizando, como evitar usar excessivamente os eletrodomésticos e sempre pegamos no pé da criançada na hora do banho, para não ficar muito tempo com o chuveiro ligado. Como moramos em uma chácara, temos a bomba da piscina e a bomba para pressurizar água, então, coloquei um timer para controlar o tempo de operação delas", pontua.

De acordo com a Aneel, o mês de junho vai começar com os principais reservatórios das bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN) em níveis mais baixos do que o ideal para esta época do ano, o que tende a significar redução da geração de energia, encarecendo o custo da produção.

 

Dicas para economizar energia elétrica

Chuveiro elétrico: o banho é responsável por 25% a 35% dos gastos na conta de luz nos meses mais frios. Para economizar, reduza ao máximo tempo no chuveiro.

Geladeira: representa, em média, de 15% a 20% do valor da conta. A dica é instalar a geladeira em local bem ventilado, não encostando em paredes ou móveis, longe de raios solares e fontes de calor, como fogões e estufas.

Lâmpadas: a iluminação representa de 5% a 15% do valor da conta. É bom evitar acender lâmpadas durante o dia e aproveitar mais a luz natural.

Televisão: pode ser responsável por entre 5% e 10% da conta. Lembre-se de desligar a TV quando ninguém estiver assistindo. Não deixe o aparelho ligado enquanto estiver dormindo, utilize as funções timer ou sleep de desligamento automático.

Fonte: CPFL Piratininga


Notícias relevantes: