Jundiaí

Coletivo Vetor Oeste revitaliza área e planta mil árvores no Dia do Meio Ambiente

O plantio ocorreu das 9h às 11h em área verde de 4 mil m² localizada na avenida Odila Chaves Rodrigues, no bairro Fazenda Grande, em trecho atrás da EMEB Ivo de Bona e próximo ao Thera Park. O local é utilizado por moradores para prática de atividades físicas


Divulgação
Coletivo Vetor Oeste promove plantio de árvores
Crédito: Divulgação

Na manhã deste sábado (5), o Coletivo Vetor Oeste plantou mil mudas de árvore nativa do cerrado em aproximadamente uma hora.

A iniciativa, batizada de "Eu Planto, Eu Cuido", foi uma mobilização alusiva ao Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado hoje. Presente no plantio, o prefeito Luiz Fernando Machado assinou decreto prevendo o plantio de 2 mil mudas de árvores na região, como resultado de demanda da população nas discussões para elaboração do Plano de Bairro do Jardim Novo Horizonte.

O plantio ocorreu das 9h às 11h em área verde de 4 mil m² localizada na avenida Odila Chaves Rodrigues, no bairro Fazenda Grande, em trecho atrás da EMEB Ivo de Bona e próximo ao Thera Park. O local é utilizado por moradores para prática de atividades físicas.

Segundo os organizadores do Coletivo, o objetivo da força-tarefa vai muito além de plantar as mil mudas em uma hora, o intuito é mobilizar a região sobre a importância da preservação e dos cuidados com o meio ambiente por meio de atividade socioeducativa.

Ainda segundo os membros do grupo, a área poderá servir futuramente como um espaço de estudo extraclasse para os alunos de escolas próximas.

O “laboratório verde” vai ao encontro do programa de desemparedamento da Unidade de Gestão da Educação, da Prefeitura de Jundiaí, que leva crianças para vivências fora dos muros da escola.

Preservação beneficia duas áreas

Além do plantio, a estratégia se estende para área verde próxima, ao lado da Pochet do Brasil, com intuito de limpeza, preservação e alerta sobre a profundidade de um lago – velho conhecido dos moradores do entorno.

Há décadas no local, o lago é resultado da ação do homem, em atividade de extração de terra ocorrida há décadas. Com isso, atinge aproximadamente 40 metros de profundidade, se tornando perigoso para quem arrisca um mergulho. O espaço não conta com placas de alerta.

Também estão previstas para essa área a limpeza de lixo, a colocação de lixeiras e a instalação de placas educativas.

Credito: Divulgação / Descrição: Coletivo Vetor Oeste promove plantio de árvores


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: