Jundiaí

Festas juninas aquecem vendas de lojas de doces

Mesmo mais discretas por conta da pandemia, as festividades estão movimentando as vendas


JORNAL DE JUNDIAI
Matheus Cavalcanti Ramos está com boas expectativas de vendas
Crédito: JORNAL DE JUNDIAI

Mesmo mais discretas por conta da pandemia, as tradicionais festas juninas já começaram a aquecer as vendas do comércio de doces industrializados e animam os varejistas.

Sócia-proprietária de uma distribuidora de doces no Jardim Samambaia, Janaína Gazzola afirma que já percebeu um aumento nas vendas de doces juninos. "Amendoim, paçoca e pé de moleque são os nossos carros-chefes e seus preços variam de R$ 1,99 e R$ 25".

De acordo com Janaína, muitos fatores ajudam no aumento das vendas nesta época do ano. "Além dos encontros familiares, o pessoal que trabalha em empresas tem procurado bastante, tanto as guloseimas quanto os enfeites, para as pequenas confraternizações. Há também muitos clientes que montam kits de festas juninas e acabam comprando os itens com a gente. No geral, as vendas estão um pouco abaixo do que era antes da pandemia, mas já estão melhorando e a expectativa para esse mês e para julho é alta", comenta.

Matheus Cavalcanti Ramos, sócio-proprietário de uma doceria, também notou um aumento de vendas dos doces típicos. "O pessoal tem comprado em pequenas quantidades, então, provavelmente, são para pequenas festas com a família", avalia.

A paçoca é a campeã de vendas nesta época do ano. "Os potes com 60 unidades, os mais tradicionais, saem por R$ 20. Também vendemos bastante pé de moleque, pé de moça, amendoim com casca e milho para fazer pipoca no fogão, mas seus preços variam muito, conforme o tamanho e a quantidade dos potes. Houve uma mudança nos preços durante a pandemia, mas foi pouca", ressalta.

Segundo Ramos, a expectativa para este ano é que as vendas deem uma boa aquecida. "Esperamos que aumentem no mínimo uns 30% em relação à outras épocas do ano. Ainda mais com o comércio reabrindo e o pessoal voltando a trabalhar", pontua.

Proprietário de uma bomboniere no Centro, Roberto Fernando Giovanni, diz que as vendas estão aumentando. Mesmo assim, não se compara à antes da pandemia. "Não precisei fechar totalmente meu comércio no ano passado, por causa do tipo do meu alvará, mas mesmo assim houve um grande queda nas vendas e não consegui recuperar ainda", afirma.

Segundo Giovanni, a expectativa para este mês é que as vendas cresçam consideravelmente. "O problema que estamos enfrentando agora é na aquisição das mercadorias, pois os fornecedores estão todos trabalhando com o pé no freio. Eu compro todas as semanas para sempre ter produtos mais frescos, mas algumas vezes eles enviam quantidades abaixo do que pedimos", comenta.

Os doces industrializados mais vendidos no estabelecimento de Giovanni, nesta época, também são as paçocas e o pé de moleque. "Os preços são a partir de R$ 0,60. O doce de abóbora, o doce de batata e a cocada de forno também são bem procurados, todos a partir de R$ 2."

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: