Jundiaí

Apesar de gradual, turismo começa a retomar demanda

RETOMADA Profissionais que trabalham com agências e transportes chegaram a registrar queda de até 100% em seus negócios


ARQUIVO PESSOAL
Fernando Dan viu seu fluxo cair, mas percebe maior procura para viagens nacionais por casais
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Apesar na queda das vendas e agências fechadas durante o período mais crítico do isolamento social, profissionais da área de turismo e transportes estão animados com a retomada das atividades.

A vacinação em massa é um sinal de alívio no setor que já tem pacotes fechados para algumas regiões, em especial Nordestes e Minas Gerais, mas são as viagens entre pequenos grupos e casais têm animado.

O microempresário Fernando Dan trabalha com vans e o trabalho dele depende muito do fluxo das agências de viagens. "Eu faço viagens particulares e algumas agências também costumam me indicar, mas cheguei a ter perda de 80% na clientela em comparação a antes das pandemia", lamenta.

Atualmente ele tem feito algumas viagens com grupos, mas espera por um mercado mais aquecido. "Eu notei que a maioria dos destinos tem sido para o Nordeste e em alguns casos para o Sul. Muitos casais voltaram a viajar, mas acredito que, a partir do momento que a população for vacinada, as coisas irão melhorar", ressalta.

DIRETO COM O PÚBLICO

Para a consultora em turismo da agência For You, Tânia Brasil Muzaiel, a procura pelos serviços tem sido importante e revigorante para o setor. "Desde o começo da pandemia ficamos praticamente uns cinco meses sem nenhuma venda. Chegamos a ter 100% de queda, mas graças a Deus as vendas começaram a retomar em outubro do ano passado", comenta.

Tânia trabalha com roteiros personalizados e em sua rotina vários públicos têm manifestado interesse pelas viagens. "Temos grupos fechando viagens para Capitólio (MG) em novembro, grupos de amigos marcando para o Nordeste em julho, além de viagens em famílias ou casais para resorts e hotéis fazendas. Alguns preferem ir de carro por ser mais seguro em relação à pandemia", afirma.

Já para Keller Balzanelli, gerente de projetos da Sajotur, a procura por viagens turísticas com roteiros rodoviários ainda é baixa. "Algumas até chegaram a ser cotadas, mas como as cidades foram fechadas por conta do isolamento, tivemos que cancelar. Infelizmente houve época que ficamos fechados por três meses", diz.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: