Jundiaí

Jundiaí amplia leitos pela segunda vez no mês

PANDEMIA Os números de novos casos e casos ativos na cidade apontam que já há uma terceira onda


Alexandre Martins
Prefeitura de Jundiaí ampliou 10 leitos para tratamento da covid-19
Crédito: Alexandre Martins

A Prefeitura de Jundiaí anunciou a segunda ampliação de leitos públicos voltados ao tratamento da covid-19 desde o início do mês, chegando a 190 vagas nesta quinta-feira (17). São 94 leitos de enfermaria, 82 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 14 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Vetor Oeste. O aumento realizado, de 12%, foi apenas na enfermaria.

Mesmo com a ocupação da UTI pública acima de 80% desde o dia 11, há cerca de uma semana, o município ampliou apenas leitos de enfermaria e alega que eles podem ser transformados em UTI conforme a necessidade, que vem subindo gradualmente desde o início do mês.

Nos últimos 15 dias, a demanda por internação em decorrência da doença cresceu 66% somente no Hospital São Vicente de Paulo (HSV), referência em atendimento público para a covid-19 na cidade.

Segundo o último boletim epidemiológico, divulgado pela Prefeitura de Jundiaí ontem, há 153 pessoas com coronavírus em internação na rede pública de saúde do município, sendo 70 na UTI e 83 na enfermaria. Ou seja, considerando todos os leitos, mesmo com a ampliação a ocupação geral é de 80%.

TERCEIRA ONDA

A quantidade de novos casos registrados diariamente em Jundiaí neste momento já é maior que a quantia que configurou a primeira onda da pandemia no município, em junho de 2020.

Nos últimos sete dias, Jundiaí registrou 1.275 novos casos de covid-19, média de 182 por dia. Esta média móvel vem crescendo gradualmente na cidade desde a metade do mês de maio e já é semelhante à observada na primeira semana de abril deste ano, quando o município ainda estava na segunda onda, a pior até o momento.

Em paralelo, a quantidade de casos ativos também subiu 69% desde o dia 11. Isso é perigoso, já que, quanto mais pessoas doentes ao mesmo tempo, maior será a necessidade da estrutura de saúde.

APORTE

O gestor de saúde de Jundiaí, Tiago Texera, diz que a média móvel do dia 1º de junho apontava 12 internações por dia no São Vicente. No dia 14, o número saltou para 20. "O termômetro para indicar a tendência da covid-19 é o número de casos com sintomas gripais, que está crescente nas últimas semanas, inclusive alavancado pela queda na temperatura."

O aumento de atendimento a pacientes com síndrome gripal é o início de um ciclo que pode levar à terceira onda. Ainda de acordo com o gestor, a consequência de mais pessoas contaminadas é a necessidade de mais leitos. "Após 15 dias é identificado o aumento no número de óbitos. A população que está liberada para vacinação contra a covid-19 deve tomar a vacina e ampliar a cobertura para a contenção do vírus, além de manter todas as medidas de proteção", comenta Texera.

Segundo a Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) de Jundiaí, os leitos acrescidos à estrutura exclusiva de atendimento ao coronavírus no HSV são híbridos, portanto, podem ser adequados para uso em UTI a qualquer necessidade.

A UGPS informa, ainda, que a parceria com o Hospital Regional (HR), formalizada no ano passado, permanece, com o destacamento de 90 leitos de enfermaria e 12 leitos de UTI para atendimento da demanda geral não covid do município.

Segundo a gestão municipal, a atuação dos dois hospitais forma um grande complexo de atendimento, tendo conseguido garantir o cuidado para toda a população de Jundiaí, tanto em demanda covid-19 quando das demais necessidades.


Notícias relevantes: