Jundiaí

Vacinação deve ser 45% mais veloz no próximo mês

O adiantamento do calendário estadual para os adultos deve acelerar o processo


DIVULGAÇÃO
Vacina da gripe deve ser administrada apenas 14 dias após a da covid
Crédito: DIVULGAÇÃO

A vacinação anda um pouco mais rápida em Jundiaí desde junho, com ampliação no volume de doses aplicadas. O aumento de 44% significa que passou de 191 mil no meio de junho para 272 mil. O adiantamento do calendário estadual para os adultos sem comorbidades, conforme anúncio recente do governador João Doria, deve acelerar o processo, mas o município depende da entrega das doses.

Segundo Doria, a população paulista acima dos 18 anos receberá a primeira dose da vacina até 20 de agosto e os adolescentes de 12 a 17 anos até 30 de setembro.

Com o volume de aplicações até o momento, quem tomou apenas uma dose na cidade, no caso de vacinas de duas doses e precisa da segunda, demandará mais de 131 mil doses. Além disso a população de 20 a 39 anos, 31,4% do total, exigirá quase 270 mil doses, entre primeira e segunda. O volume de aplicações precisa aumentar mais de 45% nos próximos 30 dias para seguir o calendário e iniciar a imunização de adolescentes a tempo.

De acordo com dados de 2020 da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) de São Paulo, pessoas com 40 anos ou mais, que vêm sendo imunizadas no momento, representam 45,3% da população, que chega a 423 mil habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística (IBGE).

DEPENDÊNCIA

Jundiaí, no entanto, depende do envio de doses pela Secretaria de Estado da Saúde, que, por sua vez, recebe as doses do Ministério da Saúde. Nos últimos dias, o município já precisou adequar o calendário de vacinação de acordo com o recebido pelos órgãos estadual e federal de Saúde.

A Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) informa que a estratégia de vacinação com o escalonamento ano a ano permanece sendo praticada. A cidade visa, com isso, atender ao público da faixa etária em sua maioria antes de avançar para idades sequenciais. Devido a esse planejamento, não houve paralisação da campanha em Jundiaí, desde o início em fevereiro.

A prefeitura tem ainda R$ 1 milhão para a aquisição de vacinas de forma independente ou em consórcio de prefeituras, mas seguem em análise as cotações de preços.

CONCOMITANTE

Junto à vacinação da covid-19, a prefeitura realiza a imunização contra a gripe, que, atualmente, atende a população geral mas, segundo a pesquisadora imunologista Franciane Mouradian Emídio Teixeira, deve haver uma pausa entre uma vacina e outra.

"Não há indicação para a aplicação simultânea das duas vacinas, isso porque ainda não se tem estudos sobre a administração desses dois imunizantes juntos. É recomendado pelos órgãos de saúde um intervalo mínimo de 14 dias entre as vacinações de covid-19 e gripe."

Franciane diz que a vacina da covid-19 deve ser priorizada. "Esse intervalo de duas semanas é o tempo médio que o organismo precisa para desenvolver a resposta imunológica. Para as vacinas da covid-19 que têm intervalo entre as doses maior, como a da Astrazeneca e Pfizer, é possível receber a vacina de gripe entre as doses, respeitando-se os 14 dias entre elas."

Nesta terça (13), a aplicação da vacina da gripe ocorre sem agendamento para quem tem mais de nove anos no CECE Francisco Dal Santo, das 8h30 às 15h30. Um documento com foto e o comprovante de vacinação para quem se imunizou contra a covid-19 devem ser apresentados.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: