Jundiaí

Bairro Medeiros atrai cada vez mais jundiaienses e paulistanos

QUALIDADE DE VIDA Com a expansão do comércio e a chegada de novos condomínios, moradores se sentem beneficiados com a crescente inovação da região


                          ALEXANDRE MARTINS
Paulo Manuel é paulistano e se mudou para o Medeiros há seis anos
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Localizado na região Oeste de Jundiaí, próximo à Serra do Japi, o Medeiros é um dos bairros que mais crescem no município nos últimos anos, tanto comercialmente como em fluxo populacional.

De acordo com dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente informa que o bairro Medeiros totalizava 6.649 habitantes na época. Em uma estimativa, a população em 2021 do bairro é de 7.599 habitantes.

Com relação aos empreendimentos enquadrados no Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) e no Relatório de Impacto de Vizinhança (RIV), há o registro de 21 empreendimentos cadastrados aprovados no local ou em andamento de análise.

De acordo com a Associação das Empresas e Profissionais do Setor Imobiliário de Jundiaí e Região (Proempi), a procura por condomínios no bairro Medeiros cresceu consideravelmente nos últimos anos, juntamente com a chegada de novos comércios e investimentos na região.

INVESTIMENTOS

Além de lançamentos recentes como loteamentos de médio-alto padrão e de apartamentos de dois e três dormitórios entre R$ 300 a R$ 400 mil, o bairro deverá receber no segundo semestre deste ano lançamentos com pouco mais de 300 unidades para a classe média, além de unidades prontas no fim do ano. Também está previsto para 2022 um projeto de grande porte no perfil Casa Verde Amarela (antigo Minha Casa Minha Vida).

O bairro virou 'point' de paulistanos que querem morar em condomínios, mas que convivem com a característica rural e sossegada do bairro, como é o caso do empresário Paulo Manuel Pires Queiroz, de 48 anos.

Paulo Manuel morava na Zona Sul de São Paulo e se mudou para Jundiaí há seis anos, ele e sua esposa decidiram morar no bairro Medeiros. "Desde que eu e minha esposa nos mudamos para cá o bairro está crescendo cada vez mais. Além de ser próximo da capital, é uma região sossegada, mas sem abrir mão da grande quantidade de empresas e pequenos comércios nas proximidades, e esse foi um dos motivos para a nossa mudança", afirma o empresário.

Apesar da expansão do comércio e dos condomínios na região, Paulo afirma que o trânsito costuma ser bastante tranquilo. "Na rua do condomínio que eu moro existem vários comércios, inclusive o supermercado inaugurado recentemente, mas mesmo assim o movimento nas ruas é muito calmo e o trânsito é tranquilo, coisa que a gente não encontra em São Paulo".

Além dos residentes mais novos da região, os moradores mais antigos do Medeiros também aprovam o crescimento e a inovação do bairro.

José dos Passos Gomes, de 62 anos, mora no bairro Medeiros há 30 anos e afirma que não mudaria de região por nada. "Já são muitos anos vivendo aqui na mesma casa, a gente se apega ao bairro e à vizinhança".

José é natural de Minas Gerais e se mudou para Jundiaí após conhecer sua esposa e logo conseguiu um emprego em uma empresa próxima ao local que reside. Para ele, o crescimento do Medeiros é benéfico para todos os moradores do bairro.

"Quando me mudei para cá não havia nem um terço dos empreendimentos de hoje, era tudo bem rural, agora tudo o que a gente precisa está mais perto", afirma José dos Passos Gomes.

COMÉRCIO

Além dos moradores, comerciantes que trabalham no local reforçam a importância do crescimento deste bairro para o desenvolvimento de todo o município. Gisele Ferreira Cunha, de 35 anos, é funcionária de uma agropecuária da sua família, o estabelecimento, inaugurado há 22 anos, é um dos pioneiros da região.

"Desde que chegamos o bairro mudou bastante, na época que abrimos nosso comércio as ruas ainda eram de terra e havia poucas lojas abertas", afirma Gisele.

Na época, havia apenas farmácia, padaria, mercearia, salão de beleza e a agropecuária da sua família. "Antigamente o Medeiros era visto como um bairro bem rural, hoje em dia ele virou área de condomínios caros e desejo de paulistanos", afirma a comerciante.

A paulistana Silvia Cristina Simões, de 47 anos, chegou ao Medeiros no ano de 1993. Ela trabalhou durante 20 anos na padaria do bairro e há nove anos trabalha no salão de beleza que fica ao lado do seu antigo serviço.

Para ela, a expansão dos empreendimentos também trouxe muitos outros paulistanos para o vetor Oeste da cidade. "Na época em que me mudei para o Medeiros o bairro não era famoso pelos condomínios luxuosos, era um local com muitas chácaras e população bem reduzida. Dessa época, poucos comércios estão presentes até hoje", afirma Silvia Cristina Simões.

DADOS GERAIS

De acordo com dados do IBGE, de 2010 para cá, houve um aumento de 14% na população geral do bairro Medeiros.

A Proempi informa que, apesar de um histórico de importantes empreendimentos de perfil econômico, Medeiros deve se consolidar como um bairro de classe média mais acessível que os bairros centrais da cidade. "O perfil dos moradores apresenta uma característica marcante, são casais jovens ou com filhos pequenos procurando mais tranquilidade e qualidade de vida", afirma o vice-presidente de Marketing e Inteligência de Mercado, Eli Gonçalves.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: