Jundiaí

Fila em banco ainda é problema, sem solução, para idosos

As longas filas em uma agência bancária no Centro de Jundiaí viraram assunto judicial por conta da espera de mais de três horas


JORNAL DE JUNDIAÍ
Aposentados e trabalhadores enfrentam filas em péssimas condições
Crédito: JORNAL DE JUNDIAÍ

As longas filas na agência do Banco Mercantil do Brasil, no Centro, viraram assunto judicial por conta da espera de mais de três horas, em especial de idosos, do lado de fora da agência.

Segundo o oficial da Promotoria de Justiça de Jundiaí, Carla Gobatto, o Ministério Público (MP) já está no caso. "Até agora tivemos uma representação que data de 31 de maio, contra uma instituição financeira em que foi apurada a referida irregularidade, ou seja, os idosos enfrentam fila por mais de três horas."

O banco foi procurado pelo MP, mas, até o momento, não houve resposta à Promotoria de Justiça de Jundiaí.

Para a presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região (AAPJR), Fé Juncal, as agências da referida instituição foram comunicadas pela associação há dois meses, mas não responderam o que foi solicitado. "Muitos usuários do Banco Mercantil são beneficiários da Previdência, então encaminhamos um ofício, pedindo providências. O banco nos respondeu depois de mais de 45 dias, informando apenas que os funcionários estão aptos a atender e há álcool em gel nas agências, mas não foram essas explicações que pedimos."

Fé diz que a espera nas longas filas chega ser perigosa. "Um associado nos comunicou que um cliente do banco passou mal na fila esta semana. Era um idoso, com mais de 65 anos e estava há mais de três horas esperando. Há descumprimento da legislação municipal e do estatuto do idoso no atendimento e bancos têm condições para melhorar o atendimento."

Fé diz ainda que a AAPJR tem acompanhado outros bancos com situações semelhantes, mas que nenhuma outra instituição tem tantas reclamações. "Acompanhamos outros bancos desde que começou a pandemia e as filas são uma situação geral do sistema financeiro. Há redução de recursos humanos nos bancos e aumento da área de caixas eletrônicos, que alguns clientes idosos têm dificuldade para usar, mas chegou a nós notificação apenas do Mercantil."

ENTIDADES

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e seus bancos associados recomendam a seus clientes e a população em geral concentrar, ao máximo, suas atividades bancárias virtualmente, pelo atendimento telefônico e nos caixas eletrônicos, para que evitar aglomerações.

Cada banco tem adotado estratégias próprias para organizar as filas dentro e fora das agências, de acordo com as características dos postos de atendimento e demanda por atendimento presencial, informa a Febraban por nota.

O Procon de Jundiaí também foi acionado pelo ofício da AAPJR e informa que, neste momento, o ideal é seguir os regramentos sanitários e verificar o horário de menor procura das agências ou consultar os funcionários dos bancos para obter informações. Se o consumidor tiver dificuldades para acessar o serviço por este não oferecer condições seguras, a orientação é registrar uma reclamação no SAC do banco, na ouvidoria ou até mesmo no Procon.

(Nathália Sousa)

 


Notícias relevantes: