Jundiaí

Em seis meses de vacinação, Jundiaí reduz índices de contaminação e mortes


Divulgação
Vacinação segue em andamento em Jundiaí em postos fixos e UBSs, a partir de agendamento
Crédito: Divulgação

Em 21 de janeiro, a enfermeira Tatiane Dantas de Carvalho recebia a primeira dose de vacina contra o Novo Coronavírus aplicada em Jundiaí. Funcionária do Hospital São Vicente de Paulo (HSV) há 13 anos, ela, assim como outros 7,5 mil profissionais que atuam na linha de frente no combate à pandemia formaram o primeiro grupo a ser vacinado a partir de então. Hoje, 180 dias depois, a cidade colhe os resultados positivos da imunização: queda de 42% na média móvel de internações nas últimas cinco semanas entre as redes públicas e privadas, além de redução de 25,5% no número de contaminados na cidade.

De acordo com dados do site Vacina Já, do Governo do Estado, até terça-feira (20), Jundiaí havia aplicado 295.853 doses de vacinas contra a covid-19, sendo 216.567 em primeira dose (representando 51,19% da população total da cidade) e 79.286 em segunda dose e ou dose única (representando 18,7% da população total da cidade).

 

“Jundiaí se preparou para a campanha de vacinação, com infraestrutura de armazenamento, logística para o transporte das doses e profissionais para a aplicação. Conseguimos reduzir a contaminação, a internação e os óbitos entre os grupos vacinados, o que garante a eficácia e eficiência das vacinas disponibilizadas desde o início da vacinação. Ainda não é tempo de baixar a guarda, mas a esperança em dias melhores cresce a cada dia com os bons índices apresentados na cidade”, comenta o prefeito Luiz Fernando Machado.

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica (VE), em Jundiaí, no comparativo dos meses de junho e julho entre 2020 – sem vacinação – e 2021 – com vacinação -, o perfil das pessoas que estão sendo contaminadas com o vírus Sars-CoV-2 e desenvolvendo as formas mais graves da doença, mudou. Enquanto no ano passado os idosos eram as principais vítimas, respondendo por 58% das internações e 84% dos óbitos, contra 42% das internações entre a população abaixo de 60 anos e 16% óbitos. Em 2021, o perfil de internação e de óbitos mudou. Atualmente a faixa etária que mais interna é de 40 a 59 anos – 47% das internações estão nesta faixa etária, sendo 20% de 40 a 49 anos e 27% de 50 a 59 anos. Para esse grupo foi concluída a vacinação e a tendência é de continuar sustentando a queda nos indicadores de contaminados e de internações.

Com a expectativa da chegada de mais doses de vacinas e a ampliação dos grupos etários a ser vacinados, Jundiaí alcança as faixas mais populosas da cidade. A estratégia adotada pela equipe é avançar os grupos, somente após boa parte da população já vacinada. “São oferecidos agendamento pelo site e APP Jundiaí em primeiro momento, depois Unidade Básica de Saúde e Central de Agendamento, e a novidade é a ‘repescagem’ em agendamento digital, que será feito toda quinta-feira, para aplicação no sábado, às pessoas dos grupos encerrados na semana anterior. Desta forma, Jundiaí avança sem deixar ninguém para trás”, salienta o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) Tiago Texera.


Notícias relevantes: