Jundiaí

Com isolamento, idosos são mais acometidos pela depressão

Medo, isolamento e distanciamento são os principais fatores que podem ocasionar depressão


            ARQUIVO JJ
Orlinda Silva, da Celeti, afirma que há cursos para pessoas com mais de 40 anos
Crédito: ARQUIVO JJ

O período de isolamento social tem afetado a saúde mental de muitas pessoas, principalmente dos idosos que precisaram interromper suas rotinas e se afastar de seus parentes. Medo, isolamento social e distanciamento são os principais fatores que podem ocasionar depressão.

Segundo o geriatra e clínico geral André Luis Riccetto Aiélo, os idosos ficaram com medo de contrair a doença e alguns sintomas se manifestaram durante a pandemia.

"Nos idosos os sintomas de depressão podem ser atípicos, como a queixa de dores pelo corpo, falta de apetite, insônia, perda de energia, confusão mental, dificuldade de memória, mutismo, dentre outros. Os sintomas depressivos clássicos como tristeza, angústia e crises de choro nem sempre são evidentes nos idosos", pontua.

De acordo com o geriatra, a prevenção da depressão pode ser feita de diversas formas, como utilizar recursos de videochamadas, estimular atividades de lazer, evitar excesso de notícias ruins ligadas a pandemia, manter uma rotina alimentar saudável, praticar meditação, manter uma boa qualidade de sono, entre outros.

"Durante a pandemia, aumentou os casos de pacientes com sintomas depressivos, transtornos de ansiedade e outras queixas relacionadas. Tenho atendido cada vez mais pacientes com esses transtornos. A família, ao perceber qualquer alteração de comportamento no idoso, deve procurar atendimento de um médico geriatra para definir o diagnóstico e melhor conduta em cada caso", ressalta Aiélo.

CAMINHOS

De acordo com a Prefeitura de Jundiaí, no caso de qualquer tipo de sofrimento mental, o munícipe pode buscar o acolhimento na Unidade Básica de Saúde de seu território ou junto ao Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS).

No caso dos adultos há o Caps III Sem Fronteiras (voltada ao atendimento de adultos com transtornos mentais severos e persistentes); Caps II Bem Viver (unidade voltada ao atendimento de adultos com transtornos mentais severos e persistentes); Caps AD III Maluco Beleza (unidade voltada ao atendimento de adultos com problemáticas relacionadas ao uso de álcool e outras drogas)

AJUDA

Pensando em melhorar a situação do bem-estar do idoso, principalmente em trabalhar a saúde mental, a plataforma Celeti se apresenta como uma opção, oferecendo cursos presenciais e virtuais.

Segundo Orlinda Silva, sócia-proprietária do Celeti, as pessoas que estão procurando pela plataforma possuem mais de 40 anos. "Em sua maioria, é um pessoal que se sente sozinho e deseja um convívio social. Oferecemos diversos cursos, entre eles, os de Inteligência Emocional, Ginástica Mental e a Estimulação Cognitiva trabalham bem a questão do isolamento, da parte emocional e do regaste da alegria dentro de cada um", afirma.

Pelo menos 400 pessoas fazem os cursos, seja na forma presencial ou virtual. "Começamos o ano com 300 pessoas, então, cerca de 100 nos procuraram para começar algum curso. E todos tem o objetivo de aproximar as pessoas, manter uma socialização, acolher e criar novas amizades entre aqueles que estão necessitando disso", comenta.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: