Jundiaí

Após três meses, Jundiaí não registra óbito confirmado por covid-19 nesta quinta-feira (22)

Além da vacinação, a queda sustentada no número de novos casos que demandam internações em leitos públicos de covid-19 sinalizam avanços


Divulgação
Vacinação em Jundiaí alcança a primeira dose em cerca de 50% da população
Crédito: Divulgação

Nesta quinta-feira (22), após três meses, Jundiaí não registrou óbito confirmado pela doença até o fechamento dos dados relativos ao cenário epidemiológico da pandemia do coronavírus. Além da vacinação, a queda sustentada no número de novos casos que demandam internações em leitos públicos de covid-19, sinalizam avanços, que devem ser mantidos com a manutenção das regras de proteção sanitárias.

“Jundiaí está avançando de forma sólida contra a pandemia. Desde o início, conseguimos manter o atendimento com plano definido, priorizando a identificação rápida dos casos, testagem e monitoramento, além do cuidado em internação nos casos em agravo. Com o avanço da vacinação, alcançamos 50% da população com ao menos a primeira dose aplicada. Mantendo a prevenção e a proteção individual, vamos avançar ainda mais contra a pandemia”, comenta o prefeito Luiz Fernando Machado.

De acordo com o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Tiago Texera, o impacto na redução das mortes começa a ser observado. “O ciclo da covid-19 é definido. O período para o desenvolvimento da forma grave da doença é de até 15 dias após o início dos sintomas. Com a redução no número de pessoas que demandam por leitos de internação, consequentemente, se diminui o número de óbitos. Outro ponto a ser considerado é que, como o perfil das pessoas contaminadas foi alterado, passando a ser as pessoas abaixo de 59 anos. Com isso, a resposta do organismo também é maior em relação aos idosos. A tendência é que a queda persista com o avanço da vacinação para as idades mais jovens”, avalia.


Notícias relevantes: